Foto: Manu Dias/GOVBA

A agroecologia é uma realidade na Bahia, cada vez mais fortalecida pelas políticas públicas, gerando renda para a agricultura familiar e garantindo alimentos saudáveis na mesa das famílias baianas e o respeito ao meio ambiente. Com a aprovação do projeto de lei do Governo que instituiu a Política Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica (Peapo) na Bahia, as estratégias de desenvolvimento rural sustentável trarão impactos ainda mais positivos nas ações em andamento.

Por meio da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), está em execução direta no campo, desde janeiro de 2023, a maior Chamada Pública de Assistência Técnica e Extensão Rural da história da Bahia: o ATER Biomas, que objetiva atender 38.880 famílias agricultoras, inseridas nos três biomas baianos: Mata Atlântica, Caatinga e Cerrado. A iniciativa conta com investimento de R$ 244 milhões e tem como tripé de sustentação a extensão rural, a produção de alimentos saudáveis e a comercialização dos produtos da agricultura familiar feitos em sistemas agroecológicos.

“As unidades produtivas familiares nos biomas da Bahia são as nossas aliadas para alcançar a sustentabilidade que o ATER Biomas propõe. Com a Chamada Pública, a Bahiater e a SDR incentivam a produção agroecológica, visando a preservação do meio ambiente, a geração de renda e, sobretudo, a segurança alimentar, tanto de quem produz, quanto de quem acessa esses alimentos nas feiras, nos mercados, em casa, na merenda escolar, numa ação fortemente atrelada ao que preceitua o programa Bahia Sem Fome, do Governo do Estado”, explica o superintendente da Bahiater, Lanns Almeida.

Para o agricultor Ariomar Oliveira, do Projeto de Assentamento (PA) Sossego I, no município de Santa Luzia, o desejo das famílias que fazem parte do PA é de melhorar suas produções agrícolas através dos serviços de ATER. “Somos cerca de 96 agricultores e estamos torcendo muito positivamente para que o ATER Biomas venha a fortalecer o nosso assentamento e os nossos agricultores, onde produzimos cacau, café, pimenta do reino, piaçava, aipim, coco e horticultura. Queremos melhorar a produção, principalmente, do cacau e da pimenta do reino. Somos gratos ao Governo do Estado, à Bahiater e à SDR por esse apoio”, destacou.

Extensão e agroecologia

Desse trabalho continuado da extensão rural realizado pela Bahiater/SDR, e em sintonia com o caráter transdisciplinar da política de agroecologia implantada na Bahia, já se concretizaram importantes ações nos territórios baianos, como a implantação do curso de Bacharelado em Agroecologia na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), que foi concebido coletivamente com outras instituições e já realizou seu segundo vestibular. Além disso, estão em execução outras iniciativas de mobilização das comunidades em torno das Hortas nas Escolas, Quintais Produtivos Agroecológicos e Jornadas Agroecológicas.

Fonte: Ascom/Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)