Programa FazAtleta encerra ano com recorde de investimento, de número de atletas beneficiados e de empresas patrocinadoras
Fonte: Divulgação/Sudesb

O programa de incentivo fiscal FazAtleta encerra 2022 com uma execução financeira de R$ 6 milhões, apoiando 145 projetos de atletas e 25 eventos esportivos. Os números foram apresentados, na tarde desta quinta-feira (22), durante a última reunião da Comissão Gerenciadora do programa, realizada na sede da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre). 

“É o maior investimento anual feito no programa em seus 23 anos de existência. Essa é uma política pública consolidada e de sucesso na Bahia. O número crescente de empresas parceiras demonstra a confiança e a sensibilidade da iniciativa privada em associar sua marca a um programa exitoso. Esperamos que em 2023 os números gerais sejam ainda maiores”, festejou o diretor da Sudesb, Vicente Neto, que preside a Comissão. 

Ainda na reunião, seis novos projetos – 3 atletas e 4 eventos –, no valor total de 218 mil reais, foram analisados e aprovados. 

Outros números 

No balanço final da execução anual do programa apresentado pela Coordenação Estadual de Esporte, ligada à Setre, foi ainda informado que das 16 modalidades apoiadas pelo FazAtleta, o ciclismo é o que tem maior número de beneficiados, com 56 projetos. Em segundo lugar, vem a modalidade de judô, que tem 30 atletas inscritos, seguido da natação, com 20.  

No interior, a cidade de Jequié está em primeiro lugar em número de atletas beneficiados, com 15, sendo a maioria na modalidade de judô. Vitória da Conquista tem dez atletas e Cruz das Almas e Barreiras empatam com nove. Salvador é a campeã, com mais de 50 atletas atendidos pelo programa.  

Neste ano, mais de 100 empresas aderiram ao programa, sendo mais um número que supera os anos anteriores. Para o coordenador estadual do Esporte, Gustavo Miranda, “é muito gratificante ver o programa crescendo e se fortalecendo a cada ano. Atrair o interesse das empresas privadas é o grande desafio para os atletas, responsáveis por esta conquista. A garantia de o Estado fazer uma execução transparente e organizada é o primeiro passo para que esta aproximação tenha êxito. Os números recordes mostram o sucesso de todo o trabalho que vem sendo feito”, observa o gestor.   

Fonte: Ascom/Sudesb