O Parque Costa Azul, em Salvador, recebeu mais de 50 mil pessoas durante o período de 14 a 18 de dezembro, na 13ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, onde os visitantes puderam conhecer as inovações e diversidade da agricultura familiar da Bahia.

O evento foi um sucesso de público e de vendas. Foram R$ 3,5 milhões injetados na economia dos municípios da Bahia com a comercialização de cerca de 2.300 produtos diversos, inovadores, sustentáveis e criativos de 220 associações e cooperativas, de todos os Territórios de Identidade do estado.

O titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR), Jeandro Ribeiro, afirmou que a expectativa foi superada. “Quem veio à Feira se enriqueceu muito, pois os visitantes levaram para casa a história da agricultura familiar. A expectativa é que a 14ª seja melhor ainda, maior, mais robusta, com mais histórias. Isso é resultado de um trabalho de políticas públicas realizadas nos últimos 16 anos e do entendimento da sociedade que a agricultura familiar é um vetor de desenvolvimento econômico e representa muito o sucesso do estado da Bahia”.

Para o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, afirmou que o evento foi positivo para agricultores e agricultoras. “Nós tivemos um volume muito bom em vendas. A população de Salvador compareceu e, isso, nos entusiasma a continuar fazendo essa grande feira da agricultura familiar na capital. Já estamos organizando a próxima e queremos organizar também as Feiras Territoriais em cada Território de Identidade e chegar ao fim do próximo ano, em Salvador, com essa grandiosidade da diversidade da agricultura familiar da Bahia”.

A Feira trouxe para a capital diversos lançamentos como cerveja de mel de cacau, caju, mandioca, rapadurinha, pão de queijo, queijo, cafés, panetone de licuri, entre outros. Além da comercialização dos produtos realizados em 27 armazéns de todos os Territórios de Identidade, o evento contou com Praça Gastronômica e atrações musicais.

O presidente da Cooperativa da Cajucultura Familiar do Nordeste da Bahia (Cooperacaju), de Ribeira do Pombal, lançou na Feira a Cerveja de Caju. “Um sentimento de gratidão e de muito reconhecimento por um produto da agricultura familiar. Nessa Feira, trouxemos o lançamento da cerveja que teve uma grande aceitação pelo público. Muita gente vindo conhecer. Está agradando a todos paladares. Tivemos um faturamento de R$ 100 mil na Feira, beneficiando todos nossos agricultores. Quando a cooperativa comercializa e ganha mais, gera mais renda para os agricultores que estão no campo, fazendo com que eles produzam mais e coloquem o produto na mesa do consumidor”.

A produtora de derivados de chocolate, de Igrapiúna, Acássia Martins, vendeu cerca de 350 quilos de chocolate. Um retorno financeiro de R$ 15 mil. “Participo da Feira desde 2018 e, nesta edição, encontrei vários clientes que retornaram para comprar novamente. Eu vendo não só produtos, mas histórias”.

Sobre a Feira

A 13ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária foi promovida pelo Governo do Estado, por meio da SDR, em parceria com a Federação da União das Cooperativas da Agricultura Familiar (Federação Unicafes – Bahia). O evento conta com o apoio da Bahiatursa, Conder e secretarias estaduais de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Planejamento (Seplan), e Educação (SEC).

Fonte: Ascom/SDR