DE JANEIRO A OUTUBRO DE 2022/ A CFEM BAIANA/ COMPENSAÇÃO FINANCEIRA PELA EXPLORAÇÃO MINERAL/ ALCANÇOU CENTO E CINQUENTA E QUATRO MILHÕES DE REAIS/ CRESCENDO APROXIMADAMENTE QUINZE POR CENTO EM RELAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR// O ESTADO ARRECADOU ATÉ O MOMENTO VINTE E TRÊS MILHÕES DE REAIS/ O QUE EQUIVALE A QUINZE POR CENTO DA CFEM// OS MUNICÍPIOS PRODUTORES FICARAM COM NOVENTA E TRÊS MILHÕES/ OU SESSENTA POR CENTO DA COTA// ATÉ O MOMENTO/ A CIDADE DE ITAGIBÁ FOI A QUE MAIS RECEBEU COTAS DA CFEM/ COM DEZENOVE MILHÕES DE REAIS// JÁ A PRODUÇÃO MINERAL BAIANA COMERCIALIZADA ALCANÇOU OITO BILHÕES E SEISCENTOS MILHÕES DE REAIS/ CRESCENDO MAIS DE UM BILHÃO QUANDO COMPARADO COM O MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR// AS INFORMAÇÕES CONSTAM NO ÚLTIMO SUMÁRIO MINERAL DIVULGADO PELA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA BAHIA///

COM INFORMAÇÕES DA SECOM BAHIA/ ANDERSON OLIVEIRA///