Programação da 10ª edição da Flica é lançada em Cachoeira
Foto: Antônio Queirós GOVBA

A programação da 10ª edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira, a Flica, foi lançada nesta terça-feira (11), na cidade de Cachoeira, no recôncavo baiano. A agenda vai acontecer de 3 a  6 de novembro e foi apresentada em um evento realizado na Fundação Hansen Bahia (FHB), que reuniu autoridades, escritores, imprensa e demais convidados. Este ano, o tema trabalhado é ‘Liberdade, Literatura e Brasis’ e faz menção à diversidade e ao protagonismo da participação popular em diferentes momentos históricos no Brasil.  

Foto: Antonio Queirós/GOVBA

O evento é uma realização da Fundação Hansen, em parceria com a empresa Cali, e tem patrocínio do Estado da Bahia, por meio da Secretaria da Cultura. A programação vai oferecer, de forma gratuita, uma série de espaços e atividades para várias faixas etárias. Dentre eles, uma livraria, a programação infantil da Fliquinha, que será abrigada na Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), um ambiente dedicado à literatura jovem, batizado de Geração Flica, e a Tenda Paraguaçu, onde, de acordo com o coordenador-geral da Flica, Jomar Lima, estarão reunidos os grandes autores regionais, nacionais e internacionais.  

Foto: Antonio Queirós/GOVBA

Ao longo dos quatro dias de festa, estão confirmados nomes como o do rapper MV Bill, das escritoras Cidinha Silva, Bárbara Carine e Carla Akotirene, dos escritores Ricardo Ishmael e Edgard Abbehusen, entre muitos outros. Também haverá apresentações teatrais e musicais, com Nelson Rufino, Ilê Aiyé, Filarmônicas Lyra Ceciliana, Orquestra Feminina do Recôncavo, entre outros.  

O lançamento contou, ainda, com a troca de conteúdo entre os convidados, com destaque para a conferência com o professor João Carlos Salles, historiador e ex-reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), que abordou o tema Linguagem e Liberdade. “Cachoeira é uma referência de cultura, expressão artística, de arte, expressão fundamental para pensar o recôncavo e a Bahia e pensar a liberdade”, explicou Salles. 

Foto: Antonio Queirós/GOVBA