O Projeto Mais Infância, desenvolvido pelo Estado da Bahia, reuniu, neste sábado (3), cerca de 600 educadores de creches baianas para a capacitação mensal. Os encontros são realizados no Teatro Caetano Veloso, da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), no Cabula. Este é o 5º encontro do Projeto este ano e contou com duas palestras sobre autismo e cuidados integrais com bebês, ministradas por representantes do Instituto de Organização Neurológica da Bahia (ION) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). 

Conforme o coordenador do Projeto Mais Infância, Manoel Calazans, as reuniões, realizadas desde 2016, são a garantia da formação continuada para os educadores. “É um encontro mensal de capacitação que instrumentaliza os educadores das creches comunitárias de Salvador para o trabalho com crianças de zero a cinco anos. Nós levamos formação e capacitação, pois a gente entende que fortalecendo a prática do professor, a gente fortalece o nosso atendimento”, detalhou.

Ainda segundo Calazans, os dois temas, autismo e cuidado integral com a criança, são essenciais para os educadores. “O autismo será tratado a partir da complexidade que é a educação da criança dentro do espectro e como os professores e as escolas precisam estar preparados para acolher essas necessidades. Já o segundo tema trata dos cuidados integrais com os bebês, em uma palestra ministrada pela Unicef, pois as creches recebem crianças de zero a dois anos e esses bebês precisam de uma atenção especializada. É bom que o Unicef, uma instituição tão especializada, trate desse assunto com os educadores da rede baiana”.

Trabalho contínuo

A professora do ION, Ester Ribeiro, destacou a importância da articulação. “O Estado da Bahia faz um trabalho importantíssimo, que é a ligação de rede entre as comunidades e aqueles que têm um tratamento especializado em educação. A educação nada mais é do que compreender todas as esferas da sociedade. É um investimento a longo prazo. Se a gente atingir a base da educação infantil, vai ser muito melhor o trabalho a longo prazo, quando essas pessoas com autismo forem adultas e chegarem ao mercado de trabalho. Quando o Estado da Bahia investe nesse segmento da educação básica, fazendo essas redes de apoio, é um investimento a longo prazo”, frisou.

Fabíolo Seles Aguiar, educador em Ibicoara, participa de todas as edições há cinco anos, e levou os alunos do quinto ano para apresentarem o Cordel Renascer. “É uma honra para mim. O deslocamento de cerca de 500 quilômetros vale a pena. Tudo o que é aprendido aqui, eu reproduzo. Lá, eu sou multiplicador do que é tratado aqui, passando o conhecimento para outros 140 educadores da Educação Infantil, alcançando com isso cerca de mil alunos da rede”.

O programa Mais Infância foi desenvolvido para aprimorar a qualificação dos professores que atuam nesse segmento, por meio de capacitação profissional para levar conhecimento aos educadores que têm pouca oportunidade de realizar cursos específicos voltados para as áreas em que atuam. Foram disponibilizados materiais didáticos e pedagógicos para as creches, ao longo desse período, além do apoio com alimentação dos assistidos e construção de novas unidades.

Repórter: Raul Rodrigues