Ações do Estado pela valorização da capoeira fortalecem turismo étnico-afro
Foto: Divulgação/Tatiana Azeviche SeturBA

Sede do projeto Capoeira do Forte, uma parceria das secretarias estaduais de Turismo (Setur-BA) e de Cultura ( Secult), o Forte de Santo Antônio Além do Carmo, no Centro Histórico de Salvador, recebeu o 9° Festival Internacional de Capoeiragem, encerrado no último sábado (14), após quatro dias de atividades. O evento foi promovido pelo Centro de Treinamento e Estudos da Capoeiragem (CTECA), liderado pelo mestre baiano Balão, e teve o apoio do Governo do Estado.

A programação incluiu apresentações da luta que é arte, oficinas, palestras, batizados, trocas de graduações, formatura, torneio infantil, tour no Pelourinho e música. O festival reuniu mestres, professores e estudiosos de 15 países.

“Foram dias enriquecedores, na promoção dessa manifestação afro-brasileira que invadiu o mundo, representada pela capoeira e toda uma cultura ancestral, que precisam ser cada vez mais valorizadas no Brasil”, declarou o mestre Balão.

A Setur-BA e a Secult mantêm no espaço a programação gratuita do projeto Capoeira do Forte, de quinta-feira a sábado, das 17h às 19h, e no domingo, das 10 às 12h. São realizadas rodas de grupos de capoeiristas de todos os estilos, com momentos de contemplação da Baía de Todos-os-Santos.

Já na orla de Amaralina, acontece o projeto Capoeiragem no Largo das Baianas, iniciativa comunitária patrocinada pela Setur-BA. O objetivo é resgatar a tradição do local, com o estímulo a manifestações artísticas. Funciona aberto ao público, de quinta-feira a sábado, das 16h30 às 19h, e aos domingos, das 10h às 12h.

Tanto no Carmo, como em Amaralina, baianos e turistas ganham uma revista de bolso que conta a história da capoeira no Brasil, da perseguição aos praticantes até o reconhecimento como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. “A revista é para o visitante levar na bagagem e divulgar em sua terra as principais informações sobre a trajetória histórica da capoeira, cuja valorização é uma das nossas prioridades para fortalecer o turismo étnico-afro baiano”, ressaltou o titular da Setur-BA, Maurício Bacelar.