Preço da Hora
Foto: Divulgação

Com inflação pesando no bolso, refletida na alta de preços e na queda no poder de compra do consumidor, pesquisar antes de comprar tornou-se mais que opção antes de se dirigir aos estabelecimentos comerciais. Para evitar gastos e deslocamentos desnecessários e garantir preços mais baratos, o cidadão pode usar o aplicativo Preço da Hora Bahia, como sugere o economista e técnico da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), Denilson Lima.

Com mais de 455 mil downloads efetuados em smartphones e um pico de 92,8 mil usuários mensais, o aplicativo gerenciado pela Secretaria da Fazenda do Estado Bahia (Sefaz-Ba) está disponível na Apple Store, no Google Play Store e também por meio do site. Além de permitir a pesquisa em qualquer município do estado, o Preço da Hora Bahia traz uma série de outras funcionalidades.

O Preço da Hora Bahia permite pesquisar preços de mais de 500 mil produtos comercializados em todo o estado, com base em informações registradas nas notas fiscais eletrônicas armazenadas pela Sefaz-Ba, com atualização a cada cinco minutos. De acordo com Denilson Lima, uma das maiores vantagens do app no apoio ao cidadão que precisa economizar é justamente a base de dados atualizada. “O aplicativo usa os preços registrados em notas fiscais eletrônicas emitidas pela Sefaz no ato de venda dos produtos, por isso, há fidedignidade e veracidade nos preços apresentados”, destaca, ao recomendar o uso.

O aplicativo possui, entre outros recursos, canais específicos para pesquisas em farmácias e postos de gasolina, a possibilidade de denunciar contribuintes que se recusam a emitir a nota fiscal, entre outras irregularidades, e ainda o compartilhamento de ofertas com amigos e a disponibilização do histórico de preços dos produtos. A funcionalidade Melhor Hora acaba de ser lançada, permitindo ao usuário aferir os horários com menor possibilidade de haver filas nos estabelecimentos.

Listas de produtos

O usuário pode ainda criar uma lista de produtos favoritos, o  que facilitará a vida dos cidadãos cujos hábitos de consumo de determinados produtos são contínuos. O economista da SEI registra o fato de que, embora a variação de preços de alguns produtos muitas vezes seja pequena de um estabelecimento para o outro, antes de sair de casa para fazer mercado, por exemplo, o usuário deve usar o recurso Listas do aplicativo e olhar para o conjunto da pesquisa, ”pois de centavo em centavo pode-se, sim, fazer uma economia que no final das contas possivelmente será representativa, e desta forma, no caso da aquisição de produtos alimentícios, por exemplo, se decidir sobre em que estabelecimento comprar”, diz.

“Se descobrir, por meio do Preço da Hora, um estabelecimento com preços menores para a maioria dos produtos em relação aos seus concorrentes, o usuário pode optar entre ir apenas a este estabelecimento ou adquirir os produtos em mais de um local de venda, se houver proximidade entre eles”, ressalta. “Para fazer uma comparação eficiente dos preços dos produtos, é necessário também considerar o critério de proximidade do estabelecimento cujo preço está mais em conta. Essa combinação, provavelmente, deve ser a mais observada pelas pessoas, pois no final colocará à sua disposição o menor custo de obtenção e evitará também a despesa com deslocamentos”, afirma.

Ele ressalta a flexibilidade do aplicativo para que o usuário estabeleça parâmetros de pesquisa. “O Preço da Hora Bahia traz a resposta de acordo com os parâmetros estabelecidos na busca, como a data de emissão da nota, que pode ser filtrada para uma antecedência de até 72 horas, ou três dias, e ainda pela proximidade da localização do usuário, que pode ser parametrizada para um raio entre um e 30 km”.

Histórico de Preços

Outra dica é usar a funcionalidade Histórico de Preços, que permite acompanhar o comportamento dos preços, destaca Denilson. Esta opção, observa, é importante para tentar verificar, por exemplo, períodos em que os preços de alguns produtos possam estar mais baixos ou mais altos como no início, meados ou fim do mês. “É necessário considerar que a depender do período do mês, alguns estabelecimentos podem adotar políticas de baixar preço de alguns produtos para facilitar as vendas”.

Fonte: Ascom/Sefaz