Foto: Vitor Barreto/SSP

Que a bandeira vermelha fixada no meio da areia pelos bombeiros alerta sobre perigo, provavelmente você já deve saber. Mas, mais do que isso, o acessório indica a presença de um fenômeno natural específico que pode gerar risco ao banho de mar.

Caracterizado pela ausência de ondas em um trecho específico, a corrente de retorno ocorre quando duas correntes laterais se cruzam, promovendo um retorno para o mar. Geralmente a água fica com a coloração mais escura e sem a formação de ondas.

“Quando uma pessoa acessa o mar na região da corrente de retorno ela é levada para uma área que dificulta o contato do banhista com o solo e o retorno para a areia”, contou o soldado e guarda-vidas do Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros, Thiago Alejandro Bernal.

Ele explica que as correntes de retorno podem ser fixas, com pontos específicos nas praias, e flutuantes, que aparecem em locais diferentes a cada dia. “Em Salvador, as praias do Buracão e Barravento sempre têm correntes de retorno. Na Buracão são mais flutuantes com um perímetro de cinco metros, já na Barravento há um ponto específico que se forma todo dia e chega ao perímetro de 30 metros”, conta Bernal.

O especialista orienta que, caso o banhista seja surpreendido pela corrente, deve manter a calma e evitar retornar à faixa de areia pelo mesmo local de acesso. “A pessoa deve se deslocar para umas das laterais e nunca tentar voltar pela região que foi puxada. É importante tentar sinalizar para alguém próximo sobre a situação”, continuou.

Ele lembra que a bandeira amarela aponta a presença de guarda-vidas na praia, o que deve ser observado para a escolha da região do banho. ” É importante estar atento à sinalização. A bandeira vermelha alerta a presença da corrente de retorno naquela direção e a amarela que nós estamos ali à disposição para atender quem precisar e orientar sobre os riscos”, finalizou.

Fonte: Ascom/SSP