Estudantes, pais, mães e cuidadores do Centro de Atendimento Educacional Especializado Pestalozzi da Bahia (CAEEPB), no bairro de Ondina, em Salvador, estão reunidos desde segunda-feira (12) para discutir o projeto político-pedagógico da instituição. O I Encontro de Alunos, Pais e Cuidadores, que acontece até o dia 16, tem o objetivo de escutar as contribuições da comunidade escolar e vai resultar na organização do trabalho de atenção educacional especializado, direcionado aos 240 estudantes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) atendidos pela unidade.

A programação do evento inclui avaliação dos serviços oferecidos, além da discussão sobre a estrutura pedagógica e serviços complementares, com a Coordenação de Educação Especial da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Ministério Público e outras instituições.

“O Pestalozzi abre as portas para escutar as vozes das pessoas que vivenciam o autismo. Queremos conhecer seus anseios e trocar saberes. Nosso objetivo é organizar o atendimento educacional especializado e oferecer serviços que sintonizem as demandas da comunidade com a proposta de educação inclusiva da Bahia”, afirmou a diretora do CAEEPB, Maria Angélica Coutinho.

A construção do projeto político-pedagógico da instituição vai ocorrer a partir do diagnóstico situacional feito pela comunidade escolar. “É muito bom saber que alguém está ouvindo o que a gente tem para dizer, além de saber que temos a atenção da Secretaria da Educação do Estado da Bahia”, disse a dona de casa Ana Paula Nascimento Santos, mãe de um garoto de 14 anos que é atendido pelo centro há sete.