A coluna principal do complexo acrílico da Basf, em implantação no Polo Industrial de Camaçari (PIC), que está completando 35 anos em pleno processo de expansão, desembarcou nesta quarta-feira (10), na Base Naval de Aratu. A peça, produzida na China, mede 64,3 metros de altura, 8,9 metros de diâmetro e 456 toneladas.

A partir do próximo sábado (13), o maior equipamento movimentado na história da logística baiana será transportado até o PIC pelas rodovias BR-324, CIA-Aeroporto e Via Parafuso. Os detalhes desta operação foram explicados por diretores da empresa, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (10), na base naval.

“Nós estamos prevendo fazer este transporte em três períodos. Por segurança, é possível que seja necessário um quarto dia, porque não podemos mover o equipamento se houver chuva”, disse a vice-presidente de logística da Basf na América do Sul, Cristina Bertoni.

Planejamento

Cristina assegurou também que a precaução é importante “não somente por causa das rodovias, estradas e pontes, mas também devido às providências necessárias em relação ao cabeamento elétrico e de comunicação”.

Segundo o gestor de Operações da Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba) na Região Metropolitana de Salvador, José Carlos Porpino, a empresa participou do planejamento de todas as intervenções necessárias. “Pensamos nas soluções mais técnicas e viáveis para que não haja maiores impactos para a população. São cerca de 130 travessias, para cada uma delas haverá desligamento, transferência ou elevação da rede. Haverá também substituição de postes para que futuras operações desta natureza sejam facilitadas”, explicou José Carlos.

A operação de logística é realizada com apoio da Marinha, por meio da Base Naval de Aratu, do Governo da Bahia, do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), das polícias rodoviárias Estadual e Federal, das prefeituras de Salvador, Simões Filho, Camaçari e Dias Dávila, e das concessionárias Bahia Norte e Via Bahia.

Complexo acrílico

O diretor de Operações da Basf, Holger Herbst, disse que a planta será a primeira da América do Sul e vai gerar produtos da terceira geração utilizados na fabricação de tintas, papéis, sabão, tratamento de água, entre outros. “Nós vamos movimentar a balança comercial do estado em aproximadamente R$ 300 milhões, envolvendo operações de importação e exportação. Escolhemos a Bahia por vários motivos. No Polo de Camaçari estão empresas fornecedoras de matéria prima, como a Braskem, e também temos mão de obra capacitada e com experiência”.

Segundo Holger, o complexo acrílico da Basf na Bahia, com investimento da ordem de R$ 1,2 bilhão, deve começar a funcionar no segundo semestre de 2014. A construção da unidade está empregando cerca de duas mil pessoas e, quando entrar em operação, serão gerados 280 empregos diretos.