Quem passou pela orla da Barra na tarde desta quinta-feira (1º) teve um primeiro contato com o GP Bahia Stock Car 2011, que será realizado nestes sábado e domingo (3 e 4), no circuito de rua Ayrton Sena, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Os pilotos da Copa Caixa, Diego Freitas (Scuderia 111) e Átila Abreu (AMG Motorsports), e o líder da Mini Challenge, Patrick Gonçalves, posaram para fotos com os fãs e lideraram uma carreata do Farol da Barra até o Largo de Santana, no Rio Vermelho.

Não só os amantes do automobilismo curtiram a carreata. O único piloto baiano da prova principal, Diego Freitas, afirmou que o evento aproxima os competidores do público, além de criar um bom clima antes da corrida. “É sempre bom correr em casa”. Já Patrick Gonçalves, também baiano, que colocou uma fitinha do Senhor do Bonfim no pulso, está ansioso com a corrida. “Vou competir com 50 quilos a mais no meu carro e circuito de rua é sempre complicado, mas o apoio da torcida deixa a gente mais veloz”.

Sobre sua experiência na categoria, disse que a Mini Challenge tem aberto muitas portas para ele. “Por ser uma categoria internacional, há visibilidade e atrai muito público de fora do país para as corridas”.

Depois de tirar fotos ao lado dos carros, com alguns fãs, os pilotos continuaram, às 14h, pela Avenida Oceânica, seguidos pelos carros de apoio, dos fãs e de agentes da Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador). Após uma rápida parada no bairro de Ondina, foram para a Casa de Iemanjá, no Largo de Santana, onde tomaram água de coco e posaram para mais fotos.

Curiosos 

A movimentação dos pilotos e o ronco potente dos motores roubaram os olhares dos turistas da bela paisagem para o asfalto. “Nós viemos visitar o Museu Náutico. Na saída, ouvimos os motores e corremos para ver o que estava acontecendo”, disseram as estudantes paulistas Paula Santos e Lívia Góes.

Muitas pessoas esperavam os pilotos na concentração em frente ao farol e não saíram de lá, mesmo sob o sol forte das 13h como o pequeno Felipe Macedo, 7 anos, que foi com os pais ver os carros de perto. “Eu nunca tinha visto um carro de corrida. O motor faz barulho porque tem 500 cavalos de potência”.

O aposentado baiano Laércio Santana, já morou na Austrália e no Japão e hoje reside em São Paulo, mas sempre volta à Bahia, porque sente que “aqui é minha casa. Dessa vez, resolvi voltar um pouco antes para poder ir à corrida”.