Assistentes sociais da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap) participaram nesta sexta-feira (23) do Seminário de Instrumentalização da Prática Profissional do Serviço Social na Execução Penal, no auditório da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), no Centro Administrativo da Bahia. O encontro abre uma série de eventos da Seap, com o objetivo de qualificar os profissionais que atuam no sistema prisional do Estado, visando uma assistência humanizada aos internos das unidades da capital e do interior.

O seminário foi aberto pelo diretor-geral da Seap, Jackson Cerqueira, representante do secretário Nestor Duarte no evento, que destacou a importância do profissional de assistência social no projeto de requalificação do sistema prisional do Estado. “A dedicação humana desses profissionais ao trabalho que desempenham é algo que chama a atenção e de grande valor. Afinal, são eles que fazem esse contato social com as pessoas em privação de liberdade”.

O diretor-geral disse ainda que, dentro da proposta de gestão organizacional, a Seap pretende investir num trabalho intersetorializado, com incremento da capacitação dos profissionais. Ele fez também um breve histórico de criação da secretaria, instalada em maio deste ano, e que tem dois pilares básicos: reforma, melhoria e ampliação do número de vagas nas unidades e ressocialização dos internos e seus familiares.

Integrante da mesa, a professora Simone Souza, do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Violência, Gênero, Raça/Etnia Maria Quitéria, da Universidade Federal do Recôncavo, ressaltou a importância de um “olhar crítico sobre as ações e o objeto de trabalho da assistência social na área de execução penal”, para não correr o risco de uma atuação burocratizada. “Essa ação deve ser dinamizada, com capacitação continuada, dentro de um caráter reflexivo do que se faz e para quem se faz”.

Pela manhã, o seminário contou ainda com a palestra da coordenadora de gestão organizacional da Seap, Nilzete Carneiro, que apresentou a proposta de dinâmica organizacional e redesenho estratégico da secretaria.

Fizeram parte da programação os temas Reflexão sobre o Papel do Assistente Social no Sistema Prisional e Sistema Único de Assistência Social e sua Operacionalização pelo Serviço Social e Benefícios Previdenciários. Também integraram a mesa o diretor de acompanhamento biopsicossocial da Seap, André Fidalgo, e a coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Violência, Gênero, Raça/Etnia Maria Quitéria, Valéria Miranda.