Em reunião ampliada que acontece nesta terça-feira (27), o Comitê Gestor Estadual do Pacto Nacional ‘Um Mundo Para a Criança e o Adolescente do Semiárido’ fará o balanço do ciclo de trabalho relativo ao período de 2007/2010 e apresentará as ações previstas para 2012/2015.

Na reunião, que terá início às 15h, no auditório da Secretaria da Segurança Pública, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador, o secretário para Assuntos Internacionais e da Agenda Bahia, Fernando Schmidt, entregará aos integrantes do Comitê e convidados o relatório das atividades relativas aos quatro últimos anos.

Na ocasião, o coordenador do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Ruy Pavan, divulgará a avaliação do desempenho da Bahia no cumprimento das metas pactuadas em 2007 na assinatura do Pacto Nacional ‘Um Mundo para a Criança e o Adolescente do Semiárido’.

Ao assinarem o Pacto, o Governo Federal, os governos dos nove estados do Nordeste, de Minas Gerais e do Espírito Santo se comprometeram a adotar medidas para a melhoria das condições de vida das crianças e dos adolescentes, cumprindo 14 metas nas áreas de saúde, educação e proteção, identificadas com os oito objetivos de desenvolvimento do milênio.

Reconhecimento

A presidente do Comitê Gestor Estadual do Pacto Nacional ‘Um Mundo Para a Criança e o Adolescente do Semiárido’, Fátima Mendonça, fará a entrega de certificados a três organizações não governamentais em reconhecimento à relevante contribuição prestada ao Comitê. Estarão presentes secretários estaduais que integram o Comitê, parceiros, educadores e técnicos envolvidos com o tema da criança e do adolescente, e representantes do Sistema de Garantia de Direitos.

O Pacto Nacional Um Mundo Para a Criança e o Adolescente do Semiárido é um compromisso de governos, de organizações da sociedade civil, de organismos internacionais, de empresas e da população com o desenvolvimento da região. Ao assinar o Pacto, assume-se a responsabilidade de adotar medidas para a melhoria das condições de vida das crianças e dos adolescentes, cumprindo metas nas áreas de saúde, educação e proteção.

O Pacto funciona por meio da articulação de políticas nacionais de diversos ministérios e órgãos federais, estaduais e municipais em prol da criança e do adolescente do Semiárido. Também possibilita o intercâmbio de experiências e informações entre os governos signatários, organizações da sociedade civil e empresas.