Planejar, desenvolver e consequentemente comemorar o crescimento do setor no ano internacional das cooperativas (2012), criado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Esse é o objetivo das mais de 80 pessoas, entre agricultores cooperados, técnicos, agentes de bases de serviços e representantes de órgãos públicos que participam da Jornada de Apoio à Estruturação e Gestão Qualificada dos Empreendimentos da Agricultura Familiar nos Territórios da Bahia, no Centro de Treinamento da EBDA, em Itapuã, Salvador.

Nas apresentações de terça e desta quarta-feira (27 e 28) foram discutidos temas ligados ao fortalecimento da comercialização dos produtos da agricultura familiar, financiamento para a agroindustrialização, além das novas e futuras ações de apoio às cooperativas da agricultura familiar na Bahia.

“É um grande desafio discutir e trabalhar para melhorar a comercialização dos produtos da agricultura familiar”, afirmou o diretor de pecuária da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), João Bosco Ramalho. Segundo o representante da Superintendência de Agricultura Familiar da Seagri, Wilson Dias, o propósito é fazer um balanço do que já foi feito e também definir e organizar a comunidade para o futuro.

As cooperativas e associações têm legislações específicas há décadas, porém as políticas públicas vêm sendo intensificadas nos últimos anos fazendo com que diversos setores acreditem no desenvolvimento desse setor. “Queremos ampliar e planejar nossas ações para crescermos muito em 2012”, afirmou o presidente da União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes-Bahia), Urbano Carvalho.

O delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) na Bahia, Welligton Hassegawa, destacou a importância da Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) como pilar para o desenvolvimento da agricultura familiar, resultando na produção de riquezas e diversidades para o cooperativismo.