A dona de casa, Leny Aragão, 55, respira aliviada depois que sua casa foi interligada à nova rede pública de esgotamento sanitário. Moradora da rua Sabínio Santiago, no Centro de Muritiba, cidade da microrregião de Santo Antônio de Jesus, a 114 quilômetros de Salvador, Leny utilizava fossas como solução para a destinação do esgoto gerado por ela, dois filhos e as constantes visitas. “Na verdade, não tinha lugar adequado na casa para fazer fossa. Tive que reaterrar e fazer outras várias vezes. Não esqueço do dia em que dei uma descarga e, de repente, subiu tudo”.

Para ampliar o Sistema de Esgotamento Sanitário de Muritiba, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) investiu recursos da ordem de R$ 14,6 milhões, entre recursos próprios e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Antes disso, apenas a Vila Residencial, que representa menos de 5 % da população total da cidade, era atendida com coleta e destinação adequada dos efluentes domésticos. Agora são mais de 1.500 ligações, de um total previsto de 4.700, já realizadas pela Embasa. Com a conclusão da obra, a cobertura do serviço passará para 60% e mais de 16 mil pessoas serão beneficiadas.

Além das ligações restantes, só falta a construção de mais uma estação elevatória (conjunto de motor-bomba). Foram concluídas e estão em operação uma rede coletora de 38 mil metros, um interceptor, quatro mil metros de linha de recalque (tubulação de grande diâmetro), quatro estações elevatórias, além da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE).

Ao passar pela grade e a caixa de areia da ETE, todo o material sólido do efluente é retido e o esgoto segue para um reator e uma lagoa, onde a matéria orgânica é digerida em 90% e os agentes patogênicos como vírus e bactérias são eliminados. O efluente final, tratado e sem causar nenhum risco ao meio ambiente, segue por gravidade até o rio Paraguaçu.

A gari aposentada, Gilza da Silva, 57, moradora do Beco do Gari, comemora. “As baratas sumiram, o ambiente ficou mais limpo e a saúde das pessoas melhorou. O esgoto é jogado para longe de casa e isso é muito bom”.