Empreendimentos da agricultura familiar da Bahia têm ampliado o acesso ao mercado a partir da implantação dos Serviços de Inspeção Municipal (SIM). Já são 43 agroindústrias certificadas, que podem vender seus produtos, com valor agregado e de acordo com as normas exigidas, para o mercado atacado e varejista nos territórios onde estão localizadas. A ação garante segurança alimentar para os consumidores.

A iniciativa está sendo realizada no âmbito da Parceria Mais Forte, Juntos para Alimentar a Bahia, uma estratégia do Governo do Estado, executada por meio da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com consórcios públicos territoriais, prefeituras municipais e organizações sociais representativas da agricultura, entre outras.

Por meio da parceria, os consórcios públicos, com o apoio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR/SDR), estruturam o SIM e coordenam as equipes técnicas dos consórcios. Nessa ação já foram investidos cerca de R$3,7 milhões.

O coordenador de Projetos Especiais da CAR, Gilmar Bonfim, explica que essa parceria vem incrementando a comercialização de produtos de agroindústrias de pequeno porte: “O SIM possibilita a ampliação da comercialização local e nos municípios consorciados. Com isso, estão sendo certificados, por meio de vários consórcios, diversos produtos como carne de suínos, defumados, iogurtes, queijos e mel, entre outros. Isso traz ao homem e mulher do campo a oportunidade de viverem ali com sua família, evitando o êxodo rural, mantendo o jovem no campo para continuar essa produção e trazer aos que estão na cidade uma variedade de produtos de qualidade”.

Em Amargosa, o estabelecimento Ouro do Valle recebeu o Selo de Inspeção Municipal neste mês de outubro. A partir de agora, os laticínios produzidos na agroindústria, como manteiga e requeijão, poderão ser comercializados em todo o território Vale do Jiquiriçá.

O proprietário do laticínio, José Nilton Oliveira, destaca a importância da adesão do município ao SIM e fala da sua satisfação com o governo estadual, pelo apoio a essa iniciativa: “Com o SIM vejo novas oportunidades de mercado, de crescimento, vejo um novo horizonte. Este serviço traz, não só pra mim, mas para o cliente, confiança. Vejo o quanto mudou minha empresa, a questão de higiene e coisas que não percebemos. Tenho enfrentado há muito [tempo] o desejo de fazer acontecer, mas sozinho não conseguiria. A expectativa é de aumentar a receita em até 30%”.

A CAR/SDR, em parceria com os consórcios públicos, tem ampliado as oportunidades, formando equipes técnicas e infraestrutura mínima para operacionalizar esse serviço, com orientação e todos os requisitos necessários para certificar a produção das agroindústrias de pequeno porte. Para aderir ao serviço, os representantes de empreendimentos devem procurar as secretarias de Agricultura dos municípios onde já foi aprovada a Lei do SIM.

Para o coordenador de Agroindústria da CAR, Gledson Moreira, o SIM é de extrema importância para todos: “Para quem produz, pois amplia a renda, para o empreendedor, seja agricultor familiar ou do meio urbano, porque gera oportunidades de negócios, e para quem consome, pois terá segurança em adquirir um produto com qualidade sanitária, de origem reconhecida”. Ele ressalta que também é importante para os municípios, uma vez que o serviço visa promover a saúde pública e a segurança alimentar, contribuindo para o desenvolvimento local.

O SIM

O SIM é um serviço sanitário voltado para a agricultores familiares, que regulamenta a inspeção e fiscalização de agroindústrias que beneficiam e comercializam produtos de origem animal, em nível local. Após a implantação do serviço, cada município é responsável pelo seu próprio selo SIM, que vai regularizar a produção, valorizar o produto e garantir segurança alimentar ao consumidor.

Já estruturam o serviço os Consórcios Territoriais do Recôncavo, Bacia do Paramirim, Sisal, Portal do Sertão, Jacuípe, Sertão do São Francisco, Piemonte Norte do Itapicuru, Piemonte da Diamantina, Velho Chico, Extremo Sul. Costa do Descobrimento, Vale do Jiquiriçá, Semiárido Nordeste II, Médio Rio de Contas, Alto Sertão, Chapada Forte e Irecê.

Fonte: Ascom/Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)