Foi assinado na manhã desta quinta-feira (29), o acordo de cooperação técnica entre a Fundação Pedro Calmon (FPC/Secult), através do Centro de Memória (CMB), e a Associação Baiana de Deficientes Físicos (ABADEF). A parceria visa organizar o Memorial Mulher da Vida, que tem como objetivo preservar a história, trajetória e memória de Luiza Câmara à frente da ABADEF.

Estiveram presentes a secretária de Cultura do Estado da Bahia, Arany Santana, o diretor geral da FPC, Zulu Araújo, o diretor do CMB, Walter Silva, da presidente da ABADEF, Silvonete Brandão, além das filhas de Luiza, Bárbara e Betânia Câmara e de políticos e representantes da sociedade civil.

Arany Santana reforçou a representação de Luiza para a sociedade. “A história de vida da Luiza caminha junto com a luta dos desassistidos do Brasil. Esse legado é muito importante, não só para Salvador, mas também, para toda a Bahia”, afirmou. Para Zulu Araújo, a FPC vem cumprindo com a missão de preservar e guardar a memória do estado. “O memorial é uma garantia de uma nova narrativa da luta pela inclusão e acessibilidade da Bahia”.

Silvonete Brandão afirmou que enquanto Luiza esteve à frente da ABADEF, “ela tinha coragem, disciplina e responsabilidade para lutar pela causa de todos”. Segundo a presidente, “o memorial será um início de um novo começo de uma história que não terá fim”, disse.

O CMB vai disponibilizar uma equipe técnica para acompanhamento e implantação do memorial, tendo como atividades prestadas pesquisas, revisão, editoração, orientação e execução do projeto no prazo previsto de 12 meses. Luiza Câmara fundou a ABADEF na década de 80. Reconhecida em todo o país por sua luta, Luiza tornou-se referência na luta pelos direitos das Pessoas Com Deficiência (PCD). Faleceu em 19 de agosto de 2020, aos 75 anos, decorrente de uma infecção pulmonar.

Fonte: Ascom/ FPC