Personagem importante da história do Brasil e da Bahia, a índia tupinambá Catarina Paraguaçu é tema de exposição na Igreja de Nossa Senhora da Graça, na capital baiana. Até o próximo dia 30 de agosto, baianos e visitantes poderão conhecer um pouco sobre a participação da indígena no início do povoamento das terras brasileiras e sua história de fé. 

A pequena mostra inicia o ciclo das comemorações pelos 500 anos de batismo de Catarina, primeira brasileira a professar o catolicismo ao ser batizada na Catedral de Saint-Malo, na França, em 1528. A celebração antecedeu o casamento com o português Diogo Álvares Correia, o Caramuru. 

Catarina tornou-se devota da mãe de Jesus por conta das recorrentes visões/sonhos com a santa católica, que a levaram a construir, ainda no século XVI, a primeira capela dedicada a Nossa Senhora da Graça e segunda igreja da Bahia. 

Dentre as peças em exibição estão o registro de batismo de Catarina Paraguaçu, utensílios indígenas, pinturas retratando o povoamento de Salvador e os sonhos da indígena, bem como esboços da escultura desenvolvida pelo artista plástico Bel Borba para as comemorações em 2028 e totem contendo resumo biográfico. 

“Esta é uma oportunidade para conhecer mais sobre a história da nossa terra e fortalecer também o turismo religioso, tão característico da Bahia”, disse o secretário estadual do Turismo, Maurício Bacelar, durante a abertura da exposição, nesta sexta-feira (30), precedida por missa celebrada pelo arquiabade do Mosteiro de São Bento, dom Emanoel D’Able do Amaral. 

SERVIÇO 

O quê: Exposição Catarina Paraguaçu – Do sonho à realidade 

Quando: De segunda a sexta-feira, das 9h às 11h e das 14h às 17, e domingos, das 8h às 10h e das 17h às 19h. Até 30 de agosto. 

Onde: Igreja de Nossa Senhora da Graça (Bairro da Graça, Salvador-BA) 

Fonte: Ascom/ Setur