A DESPEITO DAS SUCESSIVAS CRISES ECONÔMICAS BRASILEIRAS NOS ÚLTIMOS ANOS/ DE SER O ESTADO DO NORDESTE COM A MAIOR PORÇÃO DO TERRITÓRIO NO SEMIÁRIDO E DE TER UMA DAS MENORES ARRECADAÇÕES PER CAPITA DO PAÍS EM FUNÇÃO DA EXPRESSIVA POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA/ A BAHIA SE CONSOLIDOU NA SEGUNDA POSIÇÃO EM INVESTIMENTOS PÚBLICOS ENTRE OS ESTADOS BRASILEIROS/ TOTALIZANDO QUINZE BILHÕES E QUATROCENTOS MILHÕES DE REAIS DESEMBOLSADOS DESDE 2015// A EXPLICAÇÃO PARA ESSE DESEMPENHO ESTÁ NO MODELO DE GESTÃO QUE CONCILIA QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO E MODERNIZAÇÃO DO FISCO// DE UM LADO/ O ESTADO SOMA ECONOMIA REAL DE SETE BILHÕES E OITOCENTOS MILHÕES DE REAIS NAS DESPESAS COM A MANUTENÇÃO DA MÁQUINA ADMINISTRATIVA DESDE 2015/ E DO OUTRO A ARRECADAÇÃO DO ICMS BAIANO VEM CRESCENDO ACIMA DA MÉDIA NACIONAL NOS ÚLTIMOS ANOS: A PARTICIPAÇÃO DA BAHIA NO CÔMPUTO NACIONAL DE ARRECADAÇÃO DO IMPOSTO CHEGOU A CINCO POR CENTO///

COM INFORMAÇÕES DA SECOM BAHIA/ ANDERSON OLIVEIRA///