A Secretaria da saúde do estado da Bahia (Sesab) tem feito compras maiores para evitar a falta de medicamentos do chamado “kit intubação”, utilizado no tratamento de pacientes graves com covid-19. A diretora do Instituto Couto Maia – unidade de referência no tratamento da doença -, Ceuci Nunes, informa que estão sendo adotados protocolos para substituição e redução do uso dessas medicações. A infectologista ainda diz que após pouco mais de um ano de pandemia a possibilidade de intubação foi reduzida e o perfil dos pacientes internados pela doença mudou, com pessoas cada vez mais jovens e que necessitam menos do recurso.