Professor aula remota

Assim como as demais modalidades de ensino ofertadas na rede estadual, as escolas de tempo integral também estão preparadas para o início do ensino remoto, nesta segunda-feira (15). As estratégias oportunizadas pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia contemplam tanto os estudantes que possuem acesso aos meios tecnológicos, quanto os que não têm. As escolas, em um processo de busca ativa, também estão realizando reuniões com professores, estudantes líderes de classe, pais e autoridades locais para mobilizar e chamar a atenção dos estudantes para o início das atividades remotas. Soma-se a isso o processo de acolhimento da comunidade escolar e a preparação para o ano letivo.

Para o coordenador executivo de Programas e Projetos Estratégicos da Secretaria da Educação, Marcius Gomes, este é o momento do acolhimento de professores, estudantes e demais colaboradores. “É preciso organizar uma rede, a partir da escola articulada com seu território na busca ativa dos nossos estudantes. É hora de agirmos pedagogicamente na perspectiva do cuidado de si, do outro e dos espaços comuns. Todos terão oportunidades de aprendizagens. Todos importam”, afirmou.

Como serão as atividades- Para a dinâmica do ensino remoto, serão utilizadas as diversas ferramentas tecnológicas do Google, conteúdos via robôs de WhatsApp, materiais da Rede Anísio Teixeira e plataformas como Khan Academy e Stoodi, além de aulas do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC) transmitidas pela TV Educa Bahia e materiais como os Cadernos de Apoio à Aprendizagem, Roteiros de Estudos e outros. Caso o estudante não possua recursos tecnológicos que permitam a participação nas atividades remotas, a gestão escolar em articulação com o professor do componente curricular deverá agendar momentos para a entrega e recepção de materiais impressos ou utilizar outras estratégias na busca pela garantia da participação.

As escolas de tempo integral terão como referência o currículo de 1.400 horas anuais, levando em consideração o passivo de 2020, distribuídos em 228 dias letivos; seis dias por semana; e nove horas aulas por dia, com atividades complementares de 406 horas, necessárias para o cumprimento do continuum pedagógico 2020/21, que pode ser cumprido até 31 de dezembro.

As atividades curriculares complementares também serão desenvolvidas por áreas do conhecimento, a partir dos programas e projetos estratégicos da Secretaria da Educação do Estado, a exemplo das oficinas do Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC), Educação Ambiental e Saúde na Escola e Ciência na Escola, dentre outros. Essas atividades irão se inserir no currículo dos estudantes, partindo principalmente da disponibilização de atividades com a devida intencionalidade pedagógica. A Secretaria da Educação elaborou uma caixa de ferramentas dos programas e projetos para compor uma espécie de cardápio para professores e estudantes da rede, além de cursos e links de diferentes conteúdos, que podem ser acessados no endereço https://bit.ly/3tbEwlG.

Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado