Estudante rede estadual

As escolas estaduais continuam o processo de busca ativa para garantir a permanência dos estudantes e a continuidade dos estudos no ano letivo 2020/21, iniciado em formato 100% remoto, no último dia 15. Os gestores estão realizando reuniões com professores, estudantes líderes de classe, pais e autoridades locais para mobilizar e chamar a atenção dos estudantes para o engajamento nas atividades remotas, que estão sendo realizadas por meio de diferentes plataformas digitais educacionais e de materiais pedagógicos impressos.

Os educadores do Colégio Estadual Petrônio Portela, localizado no município de Jaguarari, já conseguiram contato com quase todos os estudantes da unidade.  A diretora escolar Edineuza Reis Oliveira conta que o processo envolveu todos os funcionários da escola. Foram realizadas ligações para os alunos e foi feito um diagnóstico de quem tem internet ou não para o planejamento do material impresso. A escola também usou grupos de WhatsApp. “Nossa busca ativa se deu de várias formas. Também enviamos uma cartinha de retorno às aulas para os nossos alunos da zona rural que não tínhamos conseguido contato por telefone. Eles receberam com muito entusiasmo”, relatou Edineuza.

Os estudantes também estão empenhados neste movimento. É o caso de Adrielle Duarte Rodrigues da Cruz, 16, 2º/3º ano. “Estou ajudando uma colega que mora na zona rural, onde o sinal da internet não é bom. Aí eu mando para ela, pelo Whatsapp, tudo o que foi passado na aula do dia. Fico muito feliz em saber que estou contribuindo para o avanço da sua aprendizagem”, conta a aluna, que é monitora do programa Mais Estudo.

No Instituto Estadual Psicopedagógico de Bonfim, no município de Senhor do Bonfim, a busca ativa dos seus 150 estudantes também envolve toda a escola e culminou na entrega das atividades pedagógicas impressas. Professores, funcionários e gestores participaram da busca dos alunos, tanto presencialmente, indo na casa deles com os devidos cuidados, como através de telefonemas e mensagens de WhattsApp. “O importante é trazê-los para as atividades escolares, juntamente com suas famílias, e adaptá-los ao formato de ensino remoto. Vamos criando estratégias para garantir que todos se integrem e se sintam valorizados e ativos no processo de aprendizagem. Os alunos estão entusiasmados”, ressalta a professora de Atendimento Educacional Especializado (AEE), Meyre Ângela Andrade.

Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado