BA-142
Foto: Ernesto Marques

Reivindicação das populações dos municípios cortados pelos seus 240 quilômetros, as obras de recuperação da BA-142 avançam enquanto outras intervenções articuladas redesenham a malha viária de uma região em franco desenvolvimento. A agricultura familiar e, sobretudo, o turismo direcionado às principais atrações da porção sul da Chapada Diamantina ganham novo impulso com a perspectiva de uma estrada praticamente reconstruída em alguns trechos.

O projeto em execução prevê a retirada do asfalto danificado, encascalhamento e nivelamento (base e sub-base), imprimação e aplicação de asfalto, além de sinalização e implantação de dispositivos de drenagem superficial e de segurança.

A obra faz parte do Programa de Restauração e Manutenção de Rodovias (Premar), e a empresa vencedora do edital será responsável por realizar as ações no trecho durante o período de cinco anos. A via restaurada irá atender 235 mil habitantes nos municípios de Andaraí, Mucugê, Barra da Estiva, Ibicoara, Ituaçu, Tanhaçu, Itaberaba, Iaçu, Marcionílio Souza e Itaetê.

Viagens mais rápidas e seguras vão facilitar o acesso aos serviços de saúde de Vitória da Conquista, referência na área para quase 80 municípios, além de conectar a capital do sudoeste, onde o Governo do Estado construiu o moderno Aeroporto Glauber Rocha, às atrações turísticas da porção sul da Chapada Diamantina.

BA-142
Foto: Ernesto Marques

Sem falar no impulso ao turismo rural que combina as belezas naturais da região cortada pela BA-142 e o interesse dos visitantes pela produção dos melhores cafés da Bahia que fazem sucesso no Brasil, além de morangos, pitaia, amora, framboesa, maracujá amarelo e outros produtos da agricultura familiar.

Daniel Ferreira, gestor da Coopchapada, cooperativa com cerca de 90 associados dos municípios de Mucugê, Boninal, Ibicoara e Barra da Estiva, já comemora. “A BA-142 é a principal rota de escoamento da produção e a estrada nova vai diminuir o tempo de viagem para Itaberaba, Feira de Santana e Petrolina”, afirma.

Três anos atrás, os cooperados amargaram o prejuízo com um acidente rodoviário que custou uma carga de mudas e muito tempo perdido. Nos deslocamentos entre os municípios onde a Coopchapada atua, Daniel vê o avanço das obras e já projeta a redução das perdas com a desarrumação das cargas provocada pelos buracos. “Com a estrada boa a viagem será mais rápidas e as frutas chegarão na melhor condição para os consumidores”, prevê o gestor.

Também na região, a restauração dos 142,9 quilômetros da BA-245, que liga Iaçu ao entroncamento da BR-142, passando por Itaetê, está em execução. Os serviços estão sendo realizados na região da serra de Itaetê.

No início do mês, o governador Rui Costa esteve em Piatã para entregar um conjunto de intervenções naquele município e entregou a recuperação de 196 quilômetros de outra importante rodovia estadual na região da Chapada, a BA-148, do entroncamento com a BR-242 até a histórica cidade de Rio de Contas.

Em setembro do ano passado, o governador entregou a recuperação de 58 quilômetros da BA-148, no trecho entre Irecê, na altura da rotatória da BA- 432, até Barra do Mendes, passando pelas cidades de Ibipeba e Ibititá. A obra beneficia cerca de 250 mil habitantes e fortalece o agronegócio, principal atividade econômica da região.

BA-142
Foto: Ernesto Marques

“Vamos fazer algumas interligações para atrações turísticas que precisam de acesso, a exemplo do Poço Encantado, em Itaetê, que estamos terminando os estudos para realizar a pavimentação”, explica o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcus Cavalcanti.

Os trechos já inaugurados e as obras em andamento redobram o ânimo de quem empreende na região. “Piatã, Boninal e Abaíra poderem escoar a produção para Conquista é muito bom. Nós estamos felizes e esperando que os bons resultados venham a galope, melhorando a logística e as vendas”, diz o presidente da Coopitã, Rodolfo Moreno.

Otimismo compartilhado por Evaristo Carneiro, presidente da Cooperativa dos Derivados de Cana da Microrregião de Abaíra (Coopama). “Nossa produção de derivados de cana e outros produtos da região, que precisam ser escoados para o sudoeste, Médio Rio de Contas e Andaraí, precisa muito da BA-142 recuperada”, destaca.

Repórter: Ernesto Marques