Os estudantes da rede estadual de ensino estão se destacando em feiras científicas de projeção nacional, através de seus projetos de iniciação científica. É o caso dos estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira, localizado em Ilhéus, no Sul da Bahia, que estão com dois projetos científicos finalistas na 19ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). No total, a rede estadual de ensino conta com a participação de mais 18 projetos finalistas. A feira será realizada, em formato virtual, entre os dias 15 e 27 de março. Veja lista completa dos finalistas .

O coordenador Executivo de Projetos Estratégicos da Secretaria da Educação do Estado, Marcius Gomes, ressaltou a importância da participação dos estudantes na Febrace. “Apesar da suspensão das atividades pedagógicas, por conta da pandemia, a nossa rede de estudantes e professores pesquisadores se manteve ativa ao ponto de demarcar mais um ano de participação na Febrace virtual. É natural que este ano teremos algumas inovações, a título de fortalecimento da rede colaborativa de popularização da Ciência, que envolvem uma ação articulada entre a Secretaria da Educação do Estado e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI)”. 

Os dois projetos em destaque são “A utilização do inhame (Colocasia Esculenta) na produção do bioplático”, desenvolvido pelos estudantes Amanda da Silva, Stephanie Viana e Felipe dos Santos, que fazem o curso técnico em Química; e o “Produção de inseticida a partir da folha de mandioca (Manihot Esculenta)”, desenvolvido pelos estudantes Iran Pereira de Oliveira, Ayla de Souza e Diogo dos Santos, do mesmo curso. Ambos os projetos foram orientados pelas professoras Margarete de Araújo e Maria Iracy Sousa. 
A estudante Amanda falou sobre o objetivo do projeto de sua equipe. “Estamos desenvolvendo a produção de um bioplástico a partir do inhame e, assim, pretendemos ajudar na diminuição da poluição no meio ambiente. Ficamos felizes por participar da Febrace, pois é uma oportunidade incrível de mostrar o nosso projeto e a nossa capacidade, além de ser uma uma forma de ver que todo o nosso esforço está valendo a pena”, afirmou.


Para o estudante Iran de Oliveira, a feira dará mais visibilidade ao projeto de sua equipe. “Criamos o inseticida a partir da folha da mandioca, no intuito de ajudar os pequenos agricultores que sofrem com os ataques de insetos, como formigas e lagartas. Estamos realizando um sonho ao participar da Febrace, pois vamos poder divulgar o nosso projeto e contribuir com o meio ambiente, oferecendo um produto natural”, revelou o estudante. 

Sobre a Febrace

A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista, é realizada na Universidade de São Paulo (USP), em uma grande mostra de projetos. Dentre os objetivos da Febrace destacam-se: estimular novas vocações em Ciências e Engenharia através do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores e aproximar as escolas públicas e privadas das universidades, criando oportunidades de interação espontânea entre estudantes e professores das escolas com a comunidade universitária para uma melhor compreensão dos papéis das universidades em ensino, pesquisa, cultura e extensão.

Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação