NOS ÚLTIMOS SEIS ANOS/ O GOVERNO BAIANO OBTEVE UMA ECONOMIA REAL DE SETE BILHÕES E OITOCENTOS MILHÕES DE REAIS NAS DESPESAS COM O CUSTEIO DA ADMINISTRAÇÃO/ COMO RESULTADO DA POLÍTICA DE QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO IMPLANTADA EM 2015/ LOGO NO INÍCIO DA PRIMEIRA GESTÃO DO GOVERNADOR RUI COSTA// DE ACORDO COM A SECRETARIA DA FAZENDA DO ESTADO/ OUTRO ÍNDICE DO SUCESSO DA METODOLOGIA É O FATO DE QUE O VALOR EFETIVAMENTE GASTO NESTA ÁREA PERMANECEU NOS MESMOS PATAMARES/ CHEGANDO A REGISTRAR PEQUENA REDUÇÃO NO COMPARATIVO ENTRE 2018 E 2020// O CÁLCULO LEVA EM CONTA A INFLAÇÃO DO PERÍODO E SE CONCENTRA NAS DESPESAS DE CUSTEIO/ AQUELAS RELACIONADAS AOS GASTOS COM A MANUTENÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO ESTADUAL/ A EXEMPLO DE ÁGUA/ ENERGIA E MATERIAL DE CONSUMO// ESSES VALORES NÃO INCLUEM OS GASTOS COM ATIVIDADES FINALÍSTICAS/ COMO AQUELAS QUE FORAM DESTINADAS A COMBATER OS EFEITOS DA PANDEMIA DO CORONAVÍRUS NA ÁREA DA SAÚDE///

COM INFORMAÇÕES DA SECOM BAHIA/ ALEXANDRE SANTANA///