Hospital espanhol covid

Na medida em que aumenta a média móvel de casos de Covid-19 na Bahia e pessoas se internam para tratamento da doença, maior a necessidade de sangue para situações de agravamento pelo vírus. Esse é o caso do Hospital Espanhol e de outros hospitais de campanha instalados em Salvador. Nos últimos três meses, o Hospital Espanhol precisou de 250 bolsas de sangue, desse total, 52 foram solicitadas só no mês de dezembro. 

Desde o início da pandemia, a Fundação Hemoba enviou 476 bolsas ao Hospital Espanhol, 150 para o Hospital Sagrada Família, 118 para o hospital da Arena Fonte Nova, desativado em outubro, 231 para o hospital do Wet and Wild, fechado em novembro, e 81 para o Hospital Santa Clara. Os dados correspondem a 1.056 bolsas enviadas só aos hospitais de campanha durante a pandemia.  

Nas unidades de Covid-19 do Hospital do Subúrbio, de maio a outubro de 2020 foram realizadas 953 transfusões. Atualmente as transfusões em pacientes com diagnóstico do coronavírus representam de 30 a 40% do total de transfusões realizadas no hospital. 

O médico hematologista e diretor da Hemoba, Fernando Araújo, explica que em muitas situações ocorrem distúrbios de coagulação em pacientes diagnosticados com a Covid-19, o que resulta em transfusões. “Também acontece de muitos pacientes agravados já possuírem uma doença crônica, estarem entre os grupos de risco e a necessidade de sangue ser esperada. Pessoas com doenças do sangue, como a doença falciforme ou em condição oncológica são exemplos”, diz. 

Ele explica também que o estoque de sangue em situação de alerta para os tipos O positivo e negativo, que são os grupos sanguíneos mais requisitados, a Fundação Hemoba precisa ter um número maior de doações para atender pacientes com complicações decorrentes da Covid-19 e para as situações habituais.  

O jovem Luan Barbosa, de 28 anos, é portador da Doença Falciforme, e descobriu que havia se contaminado pela Covid-19 através de uma crise álgica ou uma dor forte nos ossos, complicação aguda comum em pessoas que convivem com a doença. Com o diagnóstico da Covid-19, Luan precisou ficar internado durante o natal e o réveillon na enfermaria do Hospital Espanhol. 

“Eu tive uma crise muito forte no começo dos sintomas, nem morfina resolvia. Então quando fui para o hospital, tive o diagnóstico de covid e precisei transfundir três vezes. Mesmo após o tratamento, sinto dores no corpo”, relata. 

O diretor da Hemoba ressalta que, diante desse contexto, é importantíssimo que as pessoas respeitem o distanciamento social, usem máscara e não estejam aglomeradas. “É um momento delicado e precisamos retomar medidas como o isolamento social, mas precisamos também exercer nossa cidadania doando sangue. Os profissionais da saúde estão empenhados em oferecer o melhor cuidado para pacientes com Covid, mas não temos muitas alternativas de tratamento, o que torna a manutenção dos estoques essencial nesse momento”, completa.      

Sobre a doação

Para doar sangue, o voluntário deve estar em boas condições de saúde, sem sintomas virais, pesar mais de 50 quilos, estar bem alimentado e ter entre 16 e 69 anos incompletos. Menores de 18 anos precisam estar acompanhados de um responsável legal, e apresentar documento original com foto, emitido por órgão oficial e válido em todo o território nacional. 

O voluntário que tiver tido o diagnóstico de Covid-19 só pode doar após 30 dias do desaparecimento dos sintomas do vírus (assintomáticos/as e sem sequelas que contraindiquem a doação). Também ficam inaptos pelo período de 14 dias, candidatos que tiveram contato com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico/laboratorial de infecção pela Covid-19 e pessoas que tenham realizado viagens internacionais. Após o período, não apresentando sintomas, é possível realizar a doação.  

Apesar de não haver evidências de transmissão do vírus por transfusão sanguínea, os protocolos visam evitar a contaminação de outros voluntários e de funcionários da instituição, garantindo a segurança de todos/as que forem às unidades da Hemoba. Também está sendo obrigatório o uso de máscara facial, as higienizações das áreas comuns foram intensificadas e as poltronas afastadas para manutenção do distanciamento social.  

Unidades de coleta em Salvador

Na capital baiana, tem unidades de coleta fixas da Hemoba no Salvador Shopping, no Salvador Norte Shopping, no Hospital Irmã Dulce e no Hospital do Subúrbio. Além da sede da Hemoba, na Vasco da Gama, que funciona de segunda a sexta, das 07h30 às 18h30 e aos sábados, das 7h30 às 12h30. 

No interior

A Hemoba tem 21 unidades de coleta nas 9 macrorregiões da Bahia. Os locais, horários de funcionamento e telefones para agendamento estão disponíveis no site da Hemoba. 

Fonte: Ascom/ Hemoba