99por1
Foto: Divulgação/99por1 Orgulho de ser Solidário

A Covid-19 trouxe consigo a realidade do isolamento social, e com isso, o aumento na taxa do desemprego, chegando a mais de 1,3 milhão de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por isso, a Associação 99por1 Orgulho de Ser Solidário, juntamente com a plataforma ‘Bahia. Estado Voluntário’, convoca pessoas para auxiliar na capacitação profissional de indivíduos em situação de vulnerabilidade, para que, posteriormente, esse público-alvo esteja qualificado e possa concorrer a vagas de emprego ou montar um empreendimento para obtenção de renda.

É o que explica Marcelo Guardia, um dos fundadores e atual presidente da iniciativa. “A 99por1 Orgulho de Ser Solidário, é uma associação sem fins lucrativos, formalizada em dezembro de 2017. Ela tem como principal missão, buscar soluções e atuar em ações concretas na defesa dos menos favorecidos, combatendo as desigualdades sociais. Atualmente, estamos atuando com o objetivo principal de propiciar às famílias, em risco social, a ocupação e renda através de atividades produtivas de forma sustentável”, afirma.

Com a chegada da pandemia, a associação readaptou o portal de empregabilidade, visando colher informações e avaliar as reais necessidades e potencialidades de pessoas em vulnerabilidade social. Com isso, o projeto arrecadou cestas básicas, distribuídas entre essas comunidades carentes, e ainda iniciou treinamentos na modalidade à distância, utilizando vídeos gravados e apoio de voluntários, visando preparar as pessoas para o mundo profissional ou para dar os primeiros passos em empreendimentos solidários, que também são fontes geradoras de renda.

Além dos cursos à distância, a associação realiza de três a cinco aulas presenciais nas comunidades, a cada dois meses, respeitando as medidas de segurança para conter os avanços da Covid-19. A grade didática corresponde oficinas pedagógicas, vivências práticas, discussões, dinâmicas em grupo e visitas a empresas relacionadas com a atividade do curso. Entre o público-alvo, o principal perfil atendido pela ação social são mulheres que são mães solteiras, de baixa renda e em situação de risco, com filhos pequenos para criar.

Escolha dos cursos e preparação dos voluntários

Marcelo Guardia destaca que a ideia do projeto é formar uma metodologia que possa ser replicada e adaptada por outros voluntários e instituições para qualquer bairro com pessoas em situação de risco social. O presidente da iniciativa fala ainda sobre como cada curso é destinado às comunidades e como ocorre a capacitação dos voluntários.

“Fazemos pesquisas para detectar o que cada pessoa quer, se prefere ser empregado ou empreender, montar um negócio individual ou coletivo, daí agendamos uma reunião com o objetivo de decidir qual a linha de cursos que iremos trabalhar. Os cursos profissionais são iniciados à distância e tanto os voluntários como os alunos passam por nove mini-cursos para se acostumar com a plataforma”, ressalta.

Atualmente, mais de 100 voluntários auxiliam no processo de educação profissional à distância, com aulas selecionadas no YouTube, produção de novos conteúdos e divulgação nas redes sociais, recrutamento e acompanhamento de novos voluntários, captação de parcerias com empresas no intuito de desenvolver e facilitar a empregabilidade ou empreendedorismo entre os alunos e os locais profissionais almejados. Além de serem voluntárias e multiplicadores dos conhecimentos, as pessoas podem doar fardamento, transporte e lanche para outros voluntários, bem como, material didático, fardamento, lanche e transporte para os alunos.

Guardia reforça a necessidade de buscar envolvimento com a comunidade de forma sustentável, no intuito de resgatar a dignidade e a autoestima de pessoas que estão em situação desfavorecida e criar núcleos de produção para pessoas de baixa renda, as capacitando para serem protagonistas de suas próprias vidas. “Temos como meta promover a igualdade social através da inclusão e valorização das pessoas com menor poder aquisitivo e atingir até 12 comunidades este ano, beneficiando em média 4 mil famílias”.

Voluntariado, um ato de amor

Michele Rosa Andrade tem 39 anos, é estudante de pedagogia e voluntária há três meses. A jovem relata que é motivadora educacional na 99por1 Orgulho de Ser Solidário e que, para ela, isso significa se doar em prol das pessoas sem querer algo em troca. “É saber que posso de algum modo, transformar de maneira positiva a vida de quem precisa. É de suma importância, que as políticas públicas usem de equidade para que todos possam gozar dos seus direitos como um todo, mas também que cada cidadão faça sua parte cumprindo seus deveres pensando de modo coletivo acatando as orientações das instituições de saúde e governamentais”, conta.

A enfermeira Gabriela Olinda Garcia Rosa, 28 anos, passou dois anos atuando em outra instituição e está na 99por1 Orgulho de Ser Solidário há cerca de um mês, ajudando na elaboração das provas para as alunas que estão no processo de captação. Ela revela que a experiência está sendo enriquecedora. “Me orgulho desse projeto de empoderamento, ajudamos muitas mulheres e mães a se inserirem no mercado de trabalho. Nesse momento, temos a consciência de que estamos vivendo dias delicados, por isso, obedecemos as medidas orientadas pela Organização Mundial da Saúde e ajudamos as pessoas seguindo todo protocolo de segurança”.

Para Larissa Liz Silva Ferreira, 18 anos, voluntária há dois anos na 99por1 Orgulho de Ser Solidário, ajudar o próximo significa estimular a cidadania e doar-se em prol do bem-estar do outro. “Eu atuo na realização das atividades de videoaula e penso que, diante desse cenário desafiador, a cidadania é um instrumento que fortalece a coletividade nos momentos mais difíceis”.

Plataforma Bahia.Estado Voluntário

Desenvolvida pelas secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e da Administração (Saeb), a plataforma eletrônica ‘Bahia. Estado Voluntário’ conecta entidades públicas ou privadas aos cidadãos que pretendem atuar em trabalhos voluntários. Mais informações podem ser encontradas no site da plataforma.

Até o momento atual, o portal de voluntariado contabiliza mais de três mil voluntários, 108 ações e projetos cadastrados, 51 campanhas e mais de cinco mil oportunidades de trabalho voluntário.

Fonte: Ascom/Saeb