A Secretaria da Educação do Estado promoveu, nesta terça-feira (8), a aula inaugural on-line do Programa Universidade para Todos (UPT), juntamente com as universidades parcerias (UNEB, UESC, UESB, UEFS e UFRB). O programa tem o objetivo de preparar os estudantes para o ingresso no Ensino Superior e, neste ano, foram ofertadas 12.105 vagas, nos 27 Territórios de Identidade da Bahia.

Os estudantes contemplados serão acompanhados por monitores, de forma não presencial, e participarão de seis horas diárias de estudo, com atividades regulares (de segunda a sexta-feira) e complementares (nos finais de semana). Para tanto, serão utilizados recursos digitais ou Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), como plataformas digitais, vídeoaulas, aulas on-line ao vivo, lives semanais com conteúdos preparatórios, concurso de redação, simulados, aulões virtuais interdisciplinares, repositório de aulas, trilhas de aprendizagem e outros. Cada universidade tem seu calendário próprio.

Participante da mesa de abertura da aula inaugural da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), o subsecretário da Educação do Estado, Danilo Souza, falou sobre a importância do UPT para a juventude baiana. “O Governo do Estado tem trabalhado para expandir o Ensino Superior de forma quantitativa e qualitativa e, por meio de programas como este, oportuniza melhores condições para que os jovens ingressem nas universidades”.

O reitor da UFRB, Fábio José, ressaltou o alcance desta política pública. “Estivemos como executores até 2014, e agora podemos estar juntos novamente com o Governo do Estado nesta importante iniciativa que contribui para que a juventude tenha a possibilidade de continuar a sua formação como estudantes nas universidades”.

Segundo o coordenador executivo de Programas e Projetos Estratégicos da Secretaria da Educação, Marcius Gomes, o UPT contribuiu para o ingresso de 27 mil estudantes nas universidades nos últimos dez anos. Ele disse que, neste ano, o programa foi adequado para as atividades no contexto da pandemia. “Todas as etapas do programa, neste ano, foram pensadas e desenvolvidas considerando o contexto da pandemia do novo Coronavírus. Nesta nova fase, as atividades também seguirão o formato não presencial. Mas o importante é que os estudantes possam aprimorar seus conhecimentos e tenham o respaldo das universidades nesta preparação para alguns desafios como é o próprio Exame Nacional do Ensino Médio”, afirmou.

Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação