O Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro, será celebrado pelo Centro de Culturas Populares e Identitárias da Bahia (CCPI), da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), com a realização do evento Cultura Negra em Foco. A atividade será nos dias 20 e 26 deste mês, às 16h, de modo virtual, com a transmissão de lives no instagram @ccpicultura, destacando temas relevantes para a sociedade e o país. A abertura do evento será feita pelo diretor do CCPI, André Reis, e terá como mediadora Cassi Ladi, Coordenadora de Culturas Populares e Identitárias do CCPI. O evento se insere entre as atividades do Novembro Negro, projeto do Governo do Estado.

A proposta é promover e fomentar a Cultura Negra, o combate ao racismo e a garantia dos direitos da população negra na Bahia, marcando o mês de novembro, considerado o Mês da Consciência Negra. O encontro na sexta-feira (20), terá a participação de Renato Ferreira, advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e doutorando em Sociologia e Direito na Universidade Federal Fluminense. O estatuto da igualdade racial, cotas, avanços e retrocessos nas discussões do movimento estarão entre as pautas tratadas no primeiro dia de evento.

O público também poderá conferir um debate, na quinta-feira (26), com Loo Nascimento, modelo, influencer e idealizadora do Dresscoração, projeto de referências de comportamento & estilo, voltado para o público afrodescendente. Na pauta do debate, serão abordados assuntos como o empoderamento feminino, representatividade, moda e estética negra.

Renato Ferreira – Advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Pós Graduado em Direito Empresarial pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas na Fundação Getúlio Vargas – FGV/EBAPE. Mestre em Políticas Públicas e Formação Humana na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Doutorando em Sociologia e Direito na Universidade Federal Fluminense. Foi membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ e participante do Fórum para Direitos Humanos e Minorias na ONU em Genebra. Foi membro do International Visitor LeadershipProgram (IVLP), curso fornecido pelo Departamento de Estado EUA. Ex-assessor da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República. Foi Professor do curso de Pós Graduação em Direito da Universidade Estácio de Sá e da Universidade Iguaçu. Pesquisador do Curso de Pós-graduação do Laboratório de Estudos Afro Brasileiros (Leafro) UFRRJ. Foi professor de Direito da Universidade Cândido Mendes e da Faculdade de Direito do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB) e do Laboratório de Políticas Públicas da UERJ. Foi professor e pesquisador do Fórum Latino Americano de Políticas Educativas – FLAPE. É Membro do Grupo Estratégico de Análise da Educação Superior GEA-ES criado pela FLACSO e Fundação Ford. Especialista,conferencista e professor de Relações Raciais, Direitos Humanos, Política Pública e Gestão para a Diversidade.

Loo Nascimento – Idealizadora do Dresscoração, projeto de referências de comportamento & estilo , voltado para o público afrodescendente inspirado na Bráfrica que há em nós. O projeto amadureceu em uma marca de roupas que carrega o mesmo conceito de empoderamento afrobrasileiro em suas estampas minuciosamente garimpadas. Loo é baiana, trabalhou como modelo, estudou marketing e cool Hunter em SP, onde reside e, hoje, se dedica ao seu projeto e marca simultaneamente.Teve seu nome e rosto citados no BuzzFeed e outros sites que fazem referência a influências na internet, além de ter sua marca citada por plataformas como a Lilian Pacce e Vogue América. Em 2016, Loo teve sua história contada pelo @instagramBrasil e foi uma das 30 mulheres escolhidas para representar tantas outras na exposição física promovida pelo @instagram em SP, em homenagem à força da voz feminina expressa pelo uso do aplicativo. Foi também homenageada pelo facebook na campanha #ElaFazHistória que incentiva o empreendedorismo entre mulheres brasileiras. Recentemente foi citada pela VOGUE América como uma das 5 mulheres brasileiras a serem acompanhadas nas redes sociais por suas informações de moda.

Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) é responsável pela execução, proteção e promoção das políticas públicas de valorização e fortalecimento das manifestações populares e de identidade, orientadas de acordo com o pensamento contemporâneo da Unesco e do Ministério da Cultura. Seu campo de atuação contempla a cultura do sertão, de matrizes africanas, ciganas e indígenas, LGBTQIA+, infância e idosos. Coordena a programação artística dos largos do Pelourinho e suas grandes festas populares.

Fonte: Ascom/Secult