Uma pequena cidade baiana com nome santo já começa a oferecer novas perspectivas aos seus 11 mil habitantes, 80% deles moradores da zona rural. O município de Santa Terezinha, no Território Piemonte do Paraguaçu inaugurou, na quinta-feira (5), a Unidade de Processamento dos Produtores de Abelhas e que, de início, beneficia 63 famílias de pequenos apicultores que se uniram em busca de transformação econômica para a região.

A unidade foi viabilizada graças à ação do Governo da Bahia através de ação conjunta da SDR (Secretaria de Desenvolvimento Rural), CAR (Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional) e ADAB (Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia) que financiaram e orientaram a implantação, respectivamente. A UPPA Casa do Mel passa a contar com o selo SIE (Serviço de Inspeção Estadual), e tem capacidade diária de processar até 1.500 quilos de mel para todo o estado.

“Estamos otimistas e já sendo procurados por outros pequenos produtores que também querem se associar e participar conosco desse projeto“, explica um dos responsáveis pela Associação de Santa Terezinha, Antônio Vieira.

Outra boa notícia é a oferta de oportunidade aos jovens que moram no entorno. “O nosso desafio é manter a juventude no campo, proporcionar alternativas para que eles se sintam motivados a acreditar que, na cidade natal, poderão ganhar o sustento, ajudar as famílias e evoluir, sem precisar tentar a sorte em outro lugar”, declara Antônio, também subsecretário de Agricultura do município.

Desenhado para movimentar a economia da região, o projeto saiu do papel e, no ato de inauguração, atraiu representantes da SDR, CAR e os ex-prefeitos Ailton Oliveira, José Luiz e a primeira-dama do município,

“A concessão do selo pela ADAB e a participação da agência no start da Casa do Mel é gratificante, pois trabalhamos no sentido de executar o que indica a nova legislação publicada em setembro, que é reduzir a burocracia e agilizar a inserção no mercado dos pequenos empreendimentos rurais. Isso é um ganho significativo para toda a região”, define o diretor-geral da ADAB, Maurício Bacelar.

Fonte: Ascom/Adab