Hotelaria
Foto: Setur

Nesta quarta-feira (28), às 9h30, no auditório da Secretaria de Turismo do Estado (Setur), ocorre um curso para capacitar profissionais do trade turístico da Bahia visando a reduzir os riscos de invasão das redes sociais dos seus estabelecimentos, como ocorreu recentemente.

Com o título ‘Crimes Eletrônicos no âmbito do turismo – intervenções práticas’, a capacitação, que será ministrada pelo delegado João Roberto Cavadas, coordenador do Grupo Especializado de Repressão a Crimes por Meios Eletrônicos (GME), com participação da delegada Maritta Souza, titular da Delegacia de Proteção ao Turista (Deltur), vai passar noções básicas de cuidados que os usuários das redes sociais devem ter para minimizar os crimes contra os seus perfis.

A iniciativa partiu da Setur, que percebeu as fraudes e buscou alinhamento com a Deltur e a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Seção Bahia desde o mês de setembro. A secretaria também organizou uma reunião com representantes dos empreendimentos que tiveram suas páginas clonadas, causando prejuízos de imagem e chegando a contatar alguns dos seus clientes, oferecendo pacotes com preços promocionais e até sorteios nos mesmos moldes realizados pelos perfis oficiais destes estabelecimentos.

Na ocasião, os executivos dos hotéis ressaltaram que, neste momento de retorno às atividades, depois de todo o tempo parado por conta da Covid-19, as redes sociais tornaram-se ferramentas imprescindíveis para trabalhar e captar clientes, tendo feito, inclusive, investimentos durante o período de isolamento social para continuarem mantendo contado com os clientes já existentes, além de captação de novos.

De acordo com o chefe de Gabinete da Setur, Benedito Braga, o grupo de trabalho foi criado para dar agilidade ao processo de identificação dos responsáveis pela fraude. “A ação criminosa é extremamente prejudicial, especialmente neste momento de reabertura dos meios de hospedagem, que têm feito grandes esforços para retomar as atividades e investido para cumprimento dos rigorosos protocolos de segurança sanitária”, explica.

Fonte: Ascom/Setur