A farinha dos agricultores familiares da Associação dos Produtores da comunidade do Bengo, localizada no município de Bom Jesus da Serra, conquistou o mercado institucional e agora está sendo vendida para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).  

A casa de farinha, construída pelo Governo do Estado, por meio do projeto Bahia Produtiva, atende diretamente 70 famílias, começou a funcionar e a produzir em maio deste ano, com as orientações e devidas recomendações de proteção aos riscos de contaminação pela Covid-19.   

Foram investidos mais R$272 mil na aquisição de equipamentos e construção de instalações apropriadas, com sanitários, depósito e infraestrutura para a destinação final da manipueira, líquido poluente extraído da mandioca. Os recursos ainda foram aplicados na capacitação dos agricultores em áreas como as de beneficiamento, embalagem, comercialização e agregação de valor, além da oferta de serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater).  

Neste mês de setembro, a associação comemora a primeira venda de 1.910 quilos de farinha. Para o agricultor Eraldo de Urcino, a implantação da casa de farinha já está trazendo benefício, que é o da comercialização dos produtos da região: “É um produto com matéria-prima que a gente produz sem agrotóxicos, natural. Por meio do projeto, estamos produzindo e comercializando farinha a um preço justo. Creio que é o início de muitas vendas que ainda teremos pela frente”.  

O jovem Assistente Comunitário Rural (ACR), Ronei Almeida Moreno, que atua no apoio e assistência técnica à comunidade, conta que a casa de farinha foi além das expectativas: “Há poucos meses, quando começou a funcionar, já estávamos felizes em produzir para o consumo próprio, mas agora já está trazendo renda para a comunidade”.  

O Bahia Produtiva é executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), a partir de acordo de empréstimo entre o Governo do Estado e o Banco Mundial.

Fonte: Ascom/ SDR