Após o bom resultado da primeira edição, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC), por meio do Instituto Anísio Teixeira (IAT), abriu hoje as inscrições para a segunda etapa das Residências Online de Aprendizagem Criativa para educadores. O projeto tem como meta atender professores da rede estadual de educação, criar rede e desenvolver projetos nos espaços de aprendizagem criativa que irá alcançar cerca de 4800 estudantes através das atividades pedagógicas elaboradas durante o programa.

Para participar das Residências, os educadores deverão formar uma equipe de duas a quatro pessoas, acessar o endereço educadores.educacao.ba.gov.br/aprendizagemcriativa, preencher o formulário com os dados e responder à pergunta: O que motiva a equipe a querer participar do programa Residências Online de Aprendizagem Criativa? As equipes serão selecionadas com base no critério de inovação e de identidade com a aprendizagem criativa.

“Eu gostaria de agradecer a todos os impulsionadores que trabalharam de forma voluntária, pois o trabalho voluntário nestes âmbitos em que estamos é uma doação plena. Também agradecer a dedicação dos educadores que participaram da primeira edição e fizeram parte desta experimentação” comentou a diretora Geral do IAT, Cybele Amado de Oliveira, que na ocasião também convidou os educadores para segunda edição do programa. “Gostaria de convocar a todos para participar da segunda etapa. Que os nossos educadores de todos os territórios possam vir experimentar essa modalidade formativa, das novas metodologias que nos trazem tantas inovações e muita criatividade” concluiu.

A primeira edição do projeto envolveu 25 impulsionadores e 66 educadores residentes das 18 equipes participantes. A ação teve um alcance de 19 municípios da Bahia e de outros estados e chegou a 12 Territórios de Identidade: Metropolitano de Salvador, Semiárido Nordeste II, Litoral Sul, Bacia do Rio Grande, Irecê, Sudoeste Baiano, Chapada Diamantina, Sertão Produtivo, Médio Rio de Contas, Sertão do São Francisco, Recôncavo e Litoral Norte/Agreste Baiano.

“Para fechar esse ciclo da primeira rodada teremos uma semana inteira de lives com as apresentações dos projetos no canal do IAT, no Youtube, todos os dias, às 9h. Para segunda etapa preparamos algumas novidades para que todas equipes se familiarizem com os conceitos de aprendizagem criativa” explicou o diretor de Inovação e Tecnologia do IAT, Iuri Rubim, lembrando que nesta segunda etapa, a meta é chegar a 25 equipes residentes.

“Foi uma experiência muito legal. Primeiro porque é importante essas ações de espalhar conhecimentos com coisas que acontecem no Brasil, em termos de ensino e aprendizagem. Segundo que ao mesmo tempo a gente aprende. Outra coisa muito boa foi a organização do projeto, com isso conseguimos fazer algo grande e com pouco tempo, graças a metodologia da divisão das mentorias produzidas pela equipe do IAT”, destacou o impulsionador Nathan Rabinovitch, que também fará parte da segunda edição das residências.

“A experiência de participar do processo de aprendizagem criativa foi uma oportunidade incrível de troca de conhecimento e validação da nossa proposta de construção. Cada encontro que tivemos tornou-se possível aprimorar nossas ideias e conhecer novos aplicativos e plataformas que contribuíram para nosso aprendizado” contou Márjorie Macedo Dantas, residente e professora da Escola Estadual Ocridalina Madureira, localizada no bairro de Massaranduba, Salvador. Márjorie e a professora Taneska Santana, do Colégio Estadual Alberto Santos Dumont, do bairro de Pirajá, formaram a equipe “ELA É… CIENTISTA!”. Juntas desenvolveram um jogo que aborda a história de mulheres cientistas, pioneiras e contemporâneas, que tem como propósito dar visibilidade a essas cientistas, suas descobertas e desafios enfrentados ao longo da sua trajetória acadêmica.

As Residências de Aprendizagem Criativa são inspiradas nas residências artísticas – prática comum ao universo das artes. Adaptada para a educação, a prática valoriza as experiências já existentes, bem como o aprendizado entre pares, na medida em que a formação se dá na convivência dos professores com colegas que possuem mais experiência em Aprendizagem Criativa.

Fonte: Ascom/IAT