Dispensário de Santana
Foto: Reprodução

O mês de setembro começou com boas notícias para o Dispensário de Santana, instituição sem fins lucrativos que atende centenas de pessoas em situação de vulnerabilidade no município de Feira de Santana. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), realizou a doação de 5.130 kg de alimentos. As doações são oriundas do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), executado na Bahia pela SJDHDS.

A diretora do Dispensário de Santana, Irmã Rosa, expressou a gratidão com a chegada dos donativos e reforça que essa ação vai ajudar a sanar a fome de muita gente. “Além das pessoas que atendemos diariamente, realizamos a entrega de cestas a mais de 1.100 famílias, duas vezes ao mês. Fazemos a distribuição de forma muito organizada para evitar aglomerações e foi com muita felicidade e emoção que recebemos esses alimentos, que além de tudo, são saudáveis. Só podemos agradecer por esse gesto de solidariedade, por nos ajudarem a ajudar o próximo, ainda mais nesse momento tão delicado que é a pandemia”, destaca Irmã Rosa.

A técnica agrícola Maria Gorete, representante da Cooperativa de Beneficiamento e Comercialização de Produtos da Agricultura Familiar de Feira de Santana (COOBAF/FS), presente na entrega das doações, afirma que o PAA chega em um momento de extrema importância também para os produtores. “A cooperativa conta com mais de 12 associações, o que representa mais de 90 agricultores associados. Os produtores estavam preocupados, pois, em virtude da pandemia, não sabiam como iriam comercializar a produção. O PAA vai ter um impacto muito positivo na geração de renda para esses trabalhadores e além disso, estamos muito felizes em ver esses alimentos destinados a uma causa tão nobre”, ressalta.

Para o secretário da SJDHDS, Carlos Martins, o PAA tem tido um papel ainda mais fundamental no combate à fome durante a pandemia. “Nós estamos falando de um programa que promove uma revolução social e atua em duas frentes importantes: o combate à fome e a promoção de renda para agricultores familiares. Vamos continuar focados na execução eficiente e eficaz desse programa social”, pontua.

Fonte: Ascom/SJDHDS