O café produzido na Chapada Diamantina, pela Cooperativa de Cafés Especiais e Agropecuária de Piatã (Coopiatã), mais uma vez está participando do Cup of Excellence, principal concurso de qualidade para café do mundo.

Este ano, foram enviadas 125 amostras da região da Chapada, entre as centenas de amostras enviadas de todo o Brasil. O resultado com as 100 melhores amostras do país foi divulgado e o município de Piatã teve 12 amostras selecionadas, dessas, nove são de cooperados da Coopiatã.

O concurso é realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), com apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e da Alliance for Coffee Excellence (ACE). Participam da seleção produtores brasileiros de café arábica, visando a promoção dos cafés para exportação.

No ano passado, cinco cooperados da Coopiatã representaram a Bahia no campeonato, e o agricultor Mersi Jordan levou o terceiro lugar, João Roberto, o sétimo, e Aguinaldo (Seu Guina), o décimo lugar.

A próxima etapa é a fase internacional, que acontece dia 26 de outubro, quando ocorrem os leilões, onde as sacas atingem os melhores preços. Os lotes pré-selecionados e depositados nos armazéns credenciados serão apresentados à Comissão Julgadora Nacional, que irá classificar os diferentes lotes quanto ao tipo, cor, aspecto e umidade, bem como à qualidade da bebida. Em seguida, os lotes finalistas dessa fase, que tenham obtido nota média de 87 pontos ou mais, serão apresentados à Comissão Julgadora Internacional. Os lotes ganhadores poderão participar da plataforma de vendas online.

Segundo o presidente da Coopiatã, Rodolfo Moreno, ter doze amostras selecionadas no concurso significa que a qualidade do café da cooperativa vem crescendo a cada ano: “É um concurso importante, em que a gente consegue valorizar todo o trabalho com o café do produtor, que lida com cafés especiais, e de todos os cooperados da Coopiatã. Participamos na maioria dos anos desse concurso e, neste ano, conseguimos ter melhores resultados. Estamos na torcida para ganharmos como melhor café do Brasil”.

A Coopiatã está recebendo do Governo do Estado recursos da ordem de R$1,8 milhão, com ações que incluem a implantação de uma agroindústria de torrefação, que vai reduzir os custos com produção: no beneficiamento de cafés especiais, antes um serviço terceirizado; assistência técnica e extensão rural (Ater), para a melhoria da qualidade dos grãos; aquisição de um veículo utilitário; e investimentos voltados para estratégias de acesso ao mercado.

Os investimentos estão sendo realizados pelo Bahia Produtiva, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial.


Fonte: Ascom/ SDR