Abstract network background with low poly design with connecting lines

Internet em alta velocidade para beneficiar estudantes, professores e pesquisadores de toda a Bahia. Esse é o objetivo do Governo do Estado, que, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), estão implantando uma infovia para educação, pesquisa e inovação, em diversas regiões do estado, por meio do Programa Veredas Novas, que visa o atendimento em banda larga, no interior dos estados. Dois campus da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em Paulo Afonso, já foram conectados neste mês de agosto com circuitos de 1 Gb/s. Os circuitos são essenciais para integrar a rede da universidade com a comunidade acadêmica mundial, o que possibilita desenvolver pesquisas científicas em prol da sociedade e mostrar para o mundo os trabalhos que são produzidos localmente.

A Secretária da Secti, Adélia Pinheiro, destaca a importância da parceria com a RNP para levar internet de qualidade aos quatro cantos da Bahia onde houver um Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). “Os novos circuitos instalados pela RNP estão substituindo os de apenas 20 Mb/s de velocidade. Com esta ação, o campus da Uneb passa a contar com uma velocidade 50 vezes maior que a atual, aliando qualidade à redução do custo mensal de manutenção. Com este trabalho de interiorização, potencializaremos as pesquisas existentes na região, pois conectamos também em Paulo Afonso os campus da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e do Instituto Federal da Bahia (Ifba), além de mostrar para o Brasil e para o mundo o empenho de nossas pesquisadoras e pesquisadores”, disse ao lembrar que outras regiões do estado serão beneficiadas, como é o caso, por exemplo, do Oeste da Bahia.

Enquanto os circuitos já entraram em produção e a Uneb realiza as últimas tratativas para o melhor aproveitamento do serviço em sua sede, o professor Bruno Leite reitera que a conexão vem para mudar para melhor a realidade da comunidade acadêmica local. “Essa banda larga possibilita e potencializa a interiorização do ensino, pesquisa e extensão, gratuita e de qualidade. Paulo Afonso, por exemplo, é um dos Campi onde o Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal oferece vagas de Mestrado Acadêmico no município e região. Além da diminuição do custo para a universidade, a conexão representa um aumento significativo na velocidade da internet, viabilizando o pleno desenvolvimento das atividades de ensino e pesquisa realizadas no departamento”, destaca.

A cooperação técnica entre Secti e RNP visa conectar em alta velocidade diversas instituições de ensino e pesquisa, universidades e institutos tecnológicos no interior do país. Para o diretor-geral da RNP, Nelson Simões, a parceria em redes de pesquisa com a Secti-BA é tradicional e, nesse momento, essencial para a interiorização e sustentação da plataforma digital para ensino e pesquisa na Bahia. “Estamos juntos, governos, universidades e parceiros privados, concretizando uma inclusão que já se traduz em benefício para milhares de alunos, professores e pesquisadores e que, em longo prazo, nos manterá integrados no território e globalmente”, finalizou Simões.

Fonte: Ascom/Secti