O Centro de Educação Especial da Bahia (CEEBA) deu início a uma série de cinco lives, dentro da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, instituída pela Lei n.º 13.585/2017. A primeira delas, realizada na segunda-feira (24), teve como tema “As instituições especializadas no processo de inclusão da pessoa com deficiência intelectual e múltipla”, com as presenças da diretora do CEEBA, Sidenise Estrelado, e a coordenadora pedagógica da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) Salvador, Itana Lima. O evento, que pode ser acompanhado pelo canal do Instagram (@ceeba.salvador) da unidade escolar, sempre às 19h, ganhou versão on-line, este ano, em função da pandemia do novo coronavírus.

Instituição da Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) envolvida no Atendimento Educacional Especializado (AEE), o CEEBA tem como objetivo, com esta iniciativa, dar visibilidade às pessoas com deficiência intelectual e deficiência múltipla e discutir os seus processos de inclusão social. Além disso, o evento visa propor formas de combate ao preconceito e à discriminação e de luta em favor de políticas públicas para essa parcela da população brasileira, cujo dados do censo demográfico de 2010 apontaram 2.611.536 milhões de brasileiros com deficiência intelectual.

A diretora do CEEBA, Sidenise Estrelado, destacou que a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla marca o protagonismo e a participação desse público nos diversos espaços sociais. “No que se refere à Educação, na perspectiva institucional, os movimentos de inclusão e empoderamento dos estudantes com deficiência contribuem para fortalecer e consolidar ações de acolhimento à diversidade e às deficiências de modo geral, com o propósito de assegurar o direito de aprender em uma escola para todas as pessoas. São mais de 600 estudantes atendidos pelo CEEBA, instituição estadual que se configura como um importante espaço de inclusão e, também, de protagonismo da pessoa com deficiência, além da formação de professores, estudantes sem deficiência, gestores e funcionários”.

Convidada do CEEBA na live de segunda, a coordenadora pedagógica do Programa de Apoio e Inclusão Escolar da APAE Salvador, Itana Lima, falou sobre o processo de inclusão dos estudantes na instituição. “Estamos em uma semana muito importante e todas as APAEs do Brasil estão mobilizadas a partir do protagonismo dos nossos estudantes, dentro da dinâmica das possibilidades que as pessoas com deficiência têm, bastando para isso oportunizá-las, e este é o nosso papel. Nós, da APAE de Salvador, e o CEEBA compartilhamos experiências exitosas dentro de uma proposta de inclusão social”, destacou a educadora. Ela ressaltou, ainda, que na área da Educação inclusiva, a APAE possui o Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE), onde crianças e adolescentes dos dois aos 16 anos são atendidas, dentro de uma estrutura de trabalho organizada por meio de oficinas temáticas, como artes visuais e informática educativa, além de Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional e Psicologia.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado