Fazenda Escola no Médio São Francisco
Foto: Divulgação/SDE

A Fazenda Escola Modelo, que vai desenvolver técnicas agrícolas dentro do Centro Estadual de Educação Profissional (Ceep) Águas, no município de Barra, no médio São Francisco baiano, recebeu a visita técnica de uma comitiva do Governo do Estado na quarta-feira (5).

No local, com uma área de 140 hectares, está prevista a implantação de um complexo de agroindústrias, projetos de irrigação e pecuária. O objetivo é que a escola seja um referencial na formação agrotécnica e agroindustrial.

A comitiva é composta pelas pastas do Desenvolvimento Econômico (SDE), da Agricultura (Seagri), de Desenvolvimento Rural (SDR) e por membros do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb) e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), que segue na região até sexta-feira (7).

De acordo com o vice-governador João Leão, titular da SDE e chefe da delegação, o projeto visa criar uma escola sustentável de referência na formação agrotécnica e agroindustrial. “Será uma vitrine para o Polo Agroindustrial. Já contamos com uma parceria incrível com a Ufob, Univasf, MDR, Incra, Codevasf, e muitos empresários parceiros do projeto, que estão ajudando a viabilizar o desenvolvimento integrado. Queremos dar meios práticos para melhorar o aprendizado dos alunos da escola técnica e das universidades, para que eles se profissionalizem e façam parte da transformação econômica e social da região”, explica.

Divisão

A área irrigada será dividida para o plantio de cana-de-açúcar, capim, grãos (soja, milho, feijão, algodão) e de grandes culturas de frutas, como uva, manga, banana e caju. Além do cultivo, haverá a parte agroindustrial, com unidades destinadas ao processamento frutífero, usina de açúcar e etanol e vinícola para produção de vinhos, sucos e espumantes. Terá também pecuária extensiva e intensiva.

De acordo com o presidente da Aiba, Celestino Zanella, o projeto está começando acertadamente por uma escola, atraindo pessoas que têm vontade e espírito empreendedor. “Temos aqui um horário de sol excelente e água. O que a região precisa é juntar forças, pessoas que façam uma liderança forte, firme, permanente e progressiva. Não tenho dúvida que o oeste da Bahia será diferente nos próximos 20 anos e teremos o privilégio de dizer que passamos por aqui e formamos a próxima geração”, afirma.

O secretário da SDR, Josias Gomes, destaca que “a ideia do polo é importante, pois trata-se de uma região cujo desenvolvimento agrícola ainda está por se definir. A produção de cana-de-açúcar será uma âncora para que outros projetos agrícolas possam se incorporar a este projeto principal, por isso, eu acho que é uma das medidas mais acertadas do Governo do Estado. Queremos estimular essa região, para completar as áreas agrícolas da Bahia”.

Aptidão agrícola

Para o diretor de Irrigação da Codevasf, Luís Napoleão, “a região tem uma aptidão agrícola muito forte e você tem aqui uma logística e uma série de fatores favoráveis que proporcionam um sucesso desse projeto. Não tenho dúvida que um projeto dessa natureza vem promover desenvolvimento para região, com geração de empregos e renda. O povo baiano está de parabéns. A ideia do Governo do Estado, em parceria com Governo Federal, vem fortalecer o desenvolvimento da região e quem ganha é a sociedade”.

Já o secretário da Seagri, Lucas Costa, ressalta que fica satisfeito e motivado com a aptidão agrícola que existe em Barra devido ao rio Grande e ao rio São Francisco. “Essa aptidão hídrica é espetacular. Eu tenho certeza a cana-de-açúcar vem para somar, pois é uma cultura que tem um valor interessante quando se aplica por hectare. Essas agroindústrias que estão para chegar vão empregar a população de Barra. A escola técnica do município nos motiva muito pois formar profissionais na área é de suma importância para conseguirmos um êxito cada vez maior”, finaliza.

Fonte: Ascom/SDE