No final do ano passado, as cantoras Ana Paula Albuquerque e Manuela Rodrigues se apresentaram na Sala do Coro do Teatro Castro Alves (TCA). Agora, as duas participam da versão digital do projeto “Terça da Música”, no dia 11 de agosto, ao meio-dia, no canal do YouTube do TCA, exibindo registros ao vivo de seus espetáculos no espaço.

Ana Paula Albuquerque: “Omaremim” – A artista exibe a gravação da canção “Omaremim”, feita durante o show de lançamento do seu segundo álbum na Sala do Coro do TCA, em novembro de 2019. A canção, que dá título ao álbum, é uma das faixas inéditas do trabalho e foi composta pela baiana Sandra Simões. O registro é um trecho do produto audiovisual que Ana Paula pretende lançar em breve, com a íntegra do show. No vídeo, ela divide o palco com músicos que são seus parceiros de longa data: Ivan Huol (bateria), Bruno Aranha (teclado), Marcos Sampaio (contrabaixo) e Felipe Guedes (guitarra). Também foi com essa banda que a artista gravou o disco em setembro do ano passado, em Massarandupió, com Cají Andrade, também responsável pelo som do vídeo. A força das águas e o feminino são os motes do álbum, que é resultado do projeto que a artista desenvolve desde 2015, e apresenta uma sonoridade marcada pela fusão entre a identidade brasileira e a música afro-baiana. O disco está disponível em todas as plataformas digitais e traz um repertório de dez músicas, sete inéditas e três regravações. Cantora e professora, Ana Paula Albuquerque iniciou seus estudos de canto em 1996, no curso de extensão da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia (Ufba), e se estenderam para a graduação em Canto. Desde 1999, atua profissionalmente como cantora, tendo a carreira solo iniciada em 2005. É fundadora da Escola Baiana de Canto Popular e professora de Canto Popular na Escola de Música da Ufba.

Manuela Rodrigues: “Siga na pista” – A cantora e compositora Manuela Rodrigues apresenta uma das canções do seu novo show, “Grito”: a canção “Siga na pista”. Neste espetáculo, a intérprete assume sua faceta instrumentista e apresenta inéditas, cantando e tocando piano, numa formação minimalista. O show alterna momentos solo de Manuela e momentos em que ela se junta aos músicos Alexandre Vieira (baixo) e Marcos Santos (bateria) na formação de um trio – caso da faixa escolhida para a “Terça da Música”. As temáticas das canções são desabafos, uma catarse a partir de questões de relacionamentos, questões políticas, existenciais e que atingem a mulher negra na sociedade. O título permeia as letras das canções como um convite a colocar para fora tudo aquilo que está preso na garganta. A ideia do show “Grito” foi motivada pela pesquisa de mestrado de Manuela, concluída em abril deste ano, onde a artista investigou o seu processo criativo ao compor usando o piano como instrumento de acompanhamento. Com uma longa e significativa experiência artística e musical, a artista iniciou sua trajetória aos nove anos de idade, até formar-se em Canto pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2001. Também estudou música em New Orleans (EUA), passando a mergulhar no universo da experimentação musical. Lançou três álbuns: “Rotas” (2003), “Uma outra qualquer por aí” (2011) e “Se a canção mudasse tudo” (2016).

Sobre a ‘Terça da Música’

Desde a abertura da Nova Sala do Coro do TCA, em julho de 2018, o espaço estabeleceu uma importante e diversa agenda de shows musicais neste palco, às terças-feiras, com o selo de “Terça da Música”. Criando uma tradição de assistir neste dia a apresentações de artistas e bandas da Bahia e do Brasil, uma mostra da produção da música contemporânea nacional, em variados estilos, foi sendo composta por meio da “Convocatória para Ocupação de Pauta da Sala do Coro do TCA”, lançada semestralmente. Dezenas de espetáculos se realizaram neste formato e são rememorados pela internet, durante este atual período de medidas de isolamento social que suspenderam as atividades presenciais, através da exibição de registros audiovisuais variados, de gravações ao vivo, videoclipes ou também dos shows filmados na Sala do Coro. Os materiais ficam dispostos no canal de YouTube do TCA, na busca de manter o movimento de difusão da música baiana e brasileira diante do público do Complexo e de toda a sua forte rede digital.

Fonte: Ascom/TCA