‘Avaliação de Políticas Públicas com os Impactos da Pandemia’ será tema da quarta live promovida pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento da Procuradoria Geral do Estado da Bahia (CEA) e a Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa (ECPL), do Tribunal de Contas do Estado Bahia. 

O evento, que acontece no próximo dia 12, às 15h, através do canal do TCE no YouTube, é o quarto de uma série de outros que têm sido realizados quinzenalmente pelos órgãos para falar sobre Políticas Públicas – A Arte do Encontro. É gratuito, com certificação e as inscrições podem ser realizadas no site www.tce.ba.gov.br/eventos .

Nesta quarta edição, a live terá como palestrantes a assessora de gabinete do TCE/BA, Thaiz Braga, e a superintendente de monitoramento e avaliação da Seplan/BA, Maria Lúcia Carvalho. A mediação ficará a cargo da procuradora do Estado da Bahia, Lízea Magnavita Maia.


Os palestrantes

Thaiz Braga é assessora de gabinete de conselheiro TCE/BA e assistente técnica do Comitê de Educação do Instituto Rui Barbosa (IRB). Faz parte também da equipe do projeto INTEGRAR (TCU). É doutora em Administração ela UFBA e mestre em Economia pela Universidade Estadual de Campinas. É formada em economia pela UFBA. 

Maria Lúcia Carvalho é superintendente de monitoramento e avaliação da Seplan/BA. Atua no governo do Estado há cerca de 20 anos, sendo responsável pela implantação dessas práticas desde 2011. É economista e mestre em sociologia, com especialização nas áreas de planejamento econômico e planejamento regional. É também membro do Conselho Consultivo da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação, onde atuou como diretora colegiada por dois mandatos.

Lízea Magnavita Maia é procuradora do Estado da Bahia, mestre em Direito Público pela UFBA e especialista em Direito da Infraestrutura pela FGV. Foi professora em diversas instituições de ensino superior.


A Parceria

A realização deste evento, assim como de uma série de outros, é fruto de um acordo de Cooperação Técnica firmado entre a PGE e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para estabelecer a cooperação técnico-científica e cultural e o intercâmbio de conhecimentos , informações e experiências entre os partícipes, visando à formação, aperfeiçoamento e especialização técnica do quadro de pessoal, bem como ao desenvolvimento institucional mediante a implementação de ações, programas, projetos, atividades complementares de interesse comum aos acordados.

O acordo permite a promoção de eventos conjuntamente, sobre temas de interesse comum, e especialmente, sobre intercâmbio de informações, tecnologias e publicações para o desenvolvimento da educação corporativa da gestão e da advocacia pública, além de prevê a formação, o aperfeiçoamento e a especialização técnica de recursos humanos e desenvolvimento institucional.