Governador Rui Costa
Foto: Mateus Pereira/GOVBA

O Estado dará continuidade aos testes para identificar a taxa de contaminação da Covid-19 entre membros da comunidade escolar de diferentes regiões do território estadual. As próximas unidades a participar do processo ficam instaladas no Subúrbio Ferroviário de Salvador. A novidade foi anunciada pelo governador Rui Costa na noite desta quarta-feira (26), durante o Papo Correria, e já será implementada a partir da próxima segunda-feira (31).

O governador lembrou que a testagem chega à capital após ser realizada em professores, alunos e funcionários de escolas da rede pública estadual das cidades de Ipiaú, Itajuípe, Itabuna, Ilhéus, Uruçuca e Jequié. “São localidades que registraram ou registram altos índices de contaminação e, para nossa surpresa, estamos registrando, em média, 12% [de taxa], com até 24% em Ilhéus e 22% em Itabuna, número muito alto, considerando que não chegamos ainda em 12%, muito menos em 24%, da população oficialmente contaminada”, avaliou.

Rui disse também que, “diferentemente das outras vezes, nas quais foram utilizados testes rápidos, a testagem feita no Subúrbio Ferroviário será do tipo PCR, de maior confiabilidade ainda, com coleta de material biológico, por meio de vias nasais”. A iniciativa faz parte de uma série de protocolos que vem sendo realizada pela Secretaria da Educação do Estado para retomada das atividades letivas, mesmo sem a data de retorno definida.

A testagem envolverá, nesta primeira etapa, 12 escolas estaduais localizadas no Subúrbio, com a previsão de alcançar uma comunidade escolar de 11.103 pessoas, sendo 10.392 estudantes, 224 funcionários e 487 professores. A testagem será feita das 8h às 12h e das 14h às 16h. De acordo com a programação, cada escola terá um dia para a testagem e cada gestão convocará a sua comunidade escolar, de modo a evitar aglomerações.

Para o atendimento, todas as unidades escolares serão preparadas com a higienização do local e disponibilização de álcool em gel e pias com sabão para a lavagem das mãos, além da exigência do uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Os professores e demais pessoas a serem testados deverão utilizar máscaras de proteção para o acesso aos locais. Ao entrar, todos serão direcionados para a higienização correta das mãos.

Repórter: Renata Preza