O Governo do Estado já liberou o pagamento do auxílio permanência aos 11.812 mil estudantes das universidades públicas estaduais baianas (Uneb, Uesf, Uesb e Uesc) beneficiados pelo programa Mais Futuro. O investimento, que já está na conta dos universitários, é de R$ 4.563.900 milhões. Com os valores correspondentes aos meses de março, abril, maio e junho, o repasse total aos estudantes chegou a R$ 19.162.800 milhões, neste período de pandemia.    
O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou a importância da manutenção da bolsa. "O Mais Futuro é um bem-sucedido auxílio de permanência universitária, que vem contribuindo para dar um maior conforto aos nossos estudantes, neste momento de pandemia. Estes esforços mostram que nos preocupamos de forma ampla com nossos estudantes, não apenas com a aprendizagem pedagógica, mas também com a garantia da sua saúde e segurança familiar", afirmou.  
O programa oferece uma bolsa de R$ 300 para quem estuda a até 100 quilômetros de onde mora e de R$ 600 para os que vivem a uma distância maior, pois para estes há a necessidade de moradia temporária na cidade onde estudam. O coordenador executivo de Programas e Projetos Estratégicos da Secretaria da Educação, Marcius Gomes, explicou que os recursos são de livre uso dos estudantes. "O Mais Futuro é um benefício que cumpre um papel fundamental para os universitários, neste momento de pandemia. Muitos estão usando os recursos para continuar pagando o aluguel de onde moram durante as aulas ou até mesmo contribuindo com suas famílias nas despesas domésticas, a exemplo da aquisição de alimentos", disse.  
Sobre o programa 
Criado em 2017, pelo Governo do Estado, o Mais Futuro é um programa de assistência estudantil para garantir a permanência dos estudantes das universidades públicas estaduais baianas (Uneb, Uefs, Uesb e Uesc) que se encontram em condições de vulnerabilidade socioeconômica. No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior, ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado. Os estudantes que já estão na fase final do curso e atendem os critérios também podem ingressar no programa já na fase do estágio.
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado