Foto: Divulgação

A professora da rede estadual de ensino Maria Isabel Gonçalves, que leciona no Colégio Estadual Rui Barbosa, localizado no município de Boninal, está entre os dez educadores de todo o país vencedores da 23ª edição do Prêmio Educador Nota 10.

Considerado o maior e o mais importante prêmio da Educação Básica brasileira, a iniciativa reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e, também, coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país.

Além da Bahia, os vencedores representam os estados de Amazonas, Distrito Federal, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (20), durante o programa ‘Encontro com Fátima Bernardes’, na rede Globo. A data da cerimônia de premiação ainda será divulgada pelo site do prêmio.

Professora de Filosofia, Maria Isabel é a única representante da Bahia na premiação e foi indicada com o projeto ‘As filosofias de minha avó: poetizando memórias para afirmar direitos’. “O legado de minha bisavó Iaiá Lia, rezadeira da Umburana, que acolhia todas as comunidades quilombolas do entorno em Santo Reis, foi o que me fez adentrar na procura por uma filosofia decolonial, as filosofias de minha avó, propondo caminhos para redescobrir também as filosofias das avós de meus jovens alunos, as iaiás e seus saberes cheios de encantamentos. Este reconhecimento é para elas, pois as suas memórias são um legado para refazer o caminho de volta ao Ubuntu. Ao me inscrever no projeto, sonhei alto em poder divulgar ao Brasil este chamado às memórias e todas as suas possibilidades para a aprendizagem”, afirmou.

A educadora não escondeu a satisfação pelo reconhecimento do seu trabalho através do prêmio. “Ser um dos dez professores finalistas do Brasil é poder dar esse reconhecimento para o grande legado que está em cada comunidade rural, em cada comunidade negra do Sertão da Chapada. Ver o projeto selecionado me faz acreditar com mais força neste sonho de transformar a educação partindo do que está bem aqui, pertinho de nós”, comemorou.

Maria Isabel destacou ainda a simbologia deste resgate das memórias das avós. “Este projeto foi a possibilidade de demarcar o nosso próprio espaço como rico em filosofias. Os saberes ancestrais são a filosofia viva para que os estudantes tivessem sempre esse ponto de partida. As memórias nos abrem para o universal, as questões fundamentais, a cultura, o patrimônio, o território, bem como para as questões sociais, ambientais e políticas. São um convite para as descobertas e afirmação de nossa identidade enquanto Sertão Chapada. Tudo está ali naquela conversa com as nossas avós”.

Sobre o prêmio

O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998, pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. O prêmio é dividido em três fases. Na primeira, foram escolhidos 50 finalistas. Dentre eles, foram selecionados os dez vencedores de 2020.

Já o Educador do Ano será divulgado durante a premiação ainda a ser definida. Cada um dos premiados ganha um vale-presente no valor de R$ 15 mil. O Educador do Ano, escolhido pela Academia de Jurados, recebe outro vale-presente, também no valor de R$ 15 mil. As escolas dos vencedores também recebem uma verba para a celebração.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado