A partir do próximo dia 20 de julho, cerca de 300 jovens que fazem parte da ação Jovens Comunicadores, do projeto Pró-Semiárido, do Governo do Estado, vão retomar as oficinas de formação, agora no formato de Ensino à Distância (EaD). A estratégia foi adotada para garantir que as 11 turmas não ficassem paradas neste tempo de pandemia e que os cursos em áreas como as do marketing digital, fotografia e audiovisual, pudessem ser ofertadas, garantindo a execução do cronograma das atividades.

O Pró-Semiárido é executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), e cofinanciado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida).

“O retorno [das oficinas] dos jovens comunicadores no formato EaD é uma coisa nova para todos nós. É um desafio, mas a gente está se organizando com aulas leves, divididas em vídeos curtos, que podem ser baixados nas comunidades rurais com maior facilidade. Estamos em contato com as turmas, diariamente, trocando ideias”, explica Emília Mazzei, que está responsável pela coordenação da ação junto aos jovens comunicadores.

As oficinas terão hora e data previamente agendadas com as turmas. A duração de cada módulo é de dois dias, com carga horária de 16 horas. Os alunos vão receber em cada um dos dias da oficina quatro videoaulas, duas pela manhã e duas pela tarde em horários previamente definidos e contarão com o acompanhamento remoto dos facilitadores e oficineiros, que estarão à disposição para tirar dúvidas e apoiá-los. Os jovens poderão contar também com o apoio da coordenação do projeto e dos técnicos lotados nos escritórios locais do Pró-Semiárido.

Os vídeos terão duração de cerca de dois minutos e meio, e ficarão disponíveis em plataforma digital. Serão realizadas ainda atividades para a avaliação de aprendizagem dos conteúdos também via plataforma digital. Os jovens receberão um auxílio de R$55,00, igual ao implementado nas escolas estaduais da Bahia, para que tenham um suporte para permanecer na atividade, bem como um auxílio para ajudar no pagamento da internet rural.

“É importante que a juventude se ocupe em estudar e se formar, dentro das possibilidades de cada um. A gente está aqui para continuar incentivando os jovens e estimulando para que eles não parem de estudar neste período”, finaliza Emília Mazzei.

Fonte: Ascom/ SDR