Com o mote ‘lave as mãos contra o coronavírus, contra a violência doméstica, não’, a Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia lançou, nesta quarta-feira (27), uma campanha de conscientização contra a violência doméstica e familiar no período da pandemia da Covid-19. Com as medidas sanitárias de isolamento social, necessárias para conter o avanço do coronavírus, houve um aumento da violência contra as mulheres no país.
Dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP) indicam redução nas ocorrências registradas nas delegacias, nos meses de março e abril em comparação com o mesmo período do ano passado, mas houve aumento do registro de denúncias por meio da Central de Atendimento 180, do Ministério da Cidadania e Mulher, da Família de Dos Direitos Humanos. Diante da dificuldade de registrar a ocorrência numa delegacia, as mulheres estão buscando outros meios.

A campanha do Governo da Bahia tem o propósito de alertar amigos, vizinhos e familiares para que estejam atentos e ofereçam ajuda às mulheres em situação de violência, ao mesmo tempo em que busca mostrar a essas mulheres que elas não estão sozinhas.
“Se você está sendo ameaçada, peça ajuda!” “Combine com alguém de sua confiança , um sinal de emergência para pedir socorro”, “se você tem uma vizinha ou amiga em situação de risco, ofereça ajuda”, “se viu ou ouviu alguma agressão contra uma mulher, chame a polícia”. Essas são algumas das mensagens veiculadas nas peças elaboradas para a campanha.
A campanha inclui peças para redes sociais, outdoors, 110 outdoors social espalhados em vários bairros de Salvador, spots em rádios e carros de som que estão circulando em 30 cidades do interior do estado, listadas entre os municípios com maior índice de violência doméstica e familiar e também com ocorrência de casos de coronavírus.  Entre os municípios, cidades da Região Metropolitana, além de Feira de Santana, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Porto Seguro, Alagoinhas, entre outros.