Estão abertas inscrições para a primeira prova virtual de Triatlhon da Bahia. A iniciativa tem o objetivo de motivar os atletas e incentivá-los a se manterem ativos, adaptando os treinos em casa. As inscrições para o TRI Virtual Race são gratuitas e podem ser feitas no site da Federação Baiana de Triatlhon, até o preenchimento das vagas. A competição online deve reunir mais de 100 pessoas, entre triatletas, corredores, ciclistas e/ou nadadores. O congresso técnico ocorre às 20h desta quinta-feira (4), por meio da plataforma virtual Google Meet.
O Triathlon Virtual Race é um desafio que será realizado em duas etapas – dias 9 a 14/6 (prova curta) e 22 a 28/6 (prova média). O atleta pode escolher fazer apenas uma das duas provas ou o desafio completo. Na etapa de curta distância, o atleta deverá nadar 400m, pedalar 20km e correr 5km. Já na etapa média, as distâncias serão 800m de natação, 40km de ciclismo e 10km de corrida. Podem participar triatletas, realizando todas as modalidades, e equipes de revezamento, onde cada atleta fará apenas uma das modalidades. 
A participação na prova é simples. O interessado deve confirmar a inscrição por meio do site do Febatri, escolher as modalidades no período correto e dentro das regras,  e enviar os dados de suas atividades para que sejam validados. Os atletas que optaram em comprar o kit da prova irão receber em casa a medalha e a camisa, logo após a validação dos dados.   
O evento tem o apoio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte. “Com a pandemia do coronavírus, estamos todos buscando novos formatos para as relações de trabalho, sociais e também de lazer. Com o esporte não é diferente. Por isso, estamos apoiando esta competição virtual de triatlhon, cujo benefício principal neste momento é manter os atletas mobilizados e estimulados”, disse o diretor da autarquia, Vicente Neto, anunciando que competições de outras modalidades serão apoiadas pelo órgão do esporte.

Provas 
As provas do Triathlon Virtual Race  serão realizadas da seguinte forma: a natação, por exemplo, será feita através do “nado seco”, onde o atleta utilizará uma borracha de soro ou elástico, simulando as braçadas da natação, e deverá enviar os dados de rotação de suas braçadas referente à distância da prova registrados em seu relógio GPS ou contados e filmados, para a organização do evento realizar a validação.  
Já na prova de ciclismo, o atleta irá pedalar em casa, com a bicicleta presa em cima de um rolo. O ciclista irá conectar os dados de velocidade da bicicleta ao software (game) chamado Zwift, que terá uma pista virtual exclusiva para a prova, onde os atletas se encontrarão virtualmente e pedalarão de forma conjunta. A corrida poderá ser feita dentro de casa, na escada ou garagem. Em todas as modalidades, será preciso enviar os dados para a organização do evento, com transmissão automática, por meio da conexão de serviços de GPS ou por meio de fotos e vídeos. 
"Olhando para o momento, chegou a hora de todos nos adaptarmos. Isso serve para as pessoas, empresas e entidades, seja pública ou privada. O virtual já é uma realidade. Reconhecemos a dificuldade de reconhecer como uma prova oficial, mas os seus efeitos e consequências positivas são bastante reais. O mais notável é o seu impacto social nas pessoas, que relatam se sentir motivadas e dispostas a se adaptarem às novas condições da prática de atividades físicas. Com isso, os espaços da cidade, o meio ambiente e as relações humanas serão ainda mais valorizadas daqui para frente ", disse Cleber Castro, presidente da Federação Baiana de Triathlon (FEBATri).

Fonte: Ascom/Sudesb