O Governo do Estado liberou mais R$ 4,7 milhões para o pagamento do auxílio permanência do programa Mais Futuro. O valor é destinado a 12 mil estudantes das universidades estaduais (Uneb, Uefs, Uesb e Uesc). O pagamento, que é feito até o dia 10 de cada mês, foi antecipado pelo segundo mês consecutivo e já está disponível para os beneficiários.
O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou que este é o segundo repasse do Mais Futuro desde o início da suspensão das aulas, por causa do novo Coronavírus. "Neste período de pandemia, a Secretaria da Educação do Estado está empreendendo esforços para atender demandas da nossa comunidade escolar, tanto no aspecto pedagógico quanto no socioeconômico. Destacam-se, por exemplo, os R$ 44 milhões destinados ao vale-alimentação estudantil para os nossos 800 mil estudantes. Mas temos também outras frentes, como o Mais Futuro, cujos investimentos nos meses de março e abril foram da ordem de R$ 9,4  milhões", pontuou. 
Os estudantes beneficiários do programa podem utilizar o valor depositado da bolsa por meio da função "débito" do seu cartão, segundo informações do Banco do Brasil. O programa, criado em 2017, oferece uma bolsa de R$ 300 para quem estuda a até 100 quilômetros de onde mora e de R$ 600 para os que vivem a uma distância maior, pois para estes há a necessidade de moradia temporária na cidade onde estudam.
Sobre o programa 
O Mais Futuro é um programa de assistência estudantil, criado pelo Governo do Estado, para garantir a permanência dos estudantes das universidades públicas estaduais (Uneb, Uefs, Uesb e Uesc) que se encontram em condições de vulnerabilidade socioeconômica. 
No terço final da graduação, os beneficiários têm a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior, ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado. Os estudantes que já estão na fase final do curso e atendem os critérios também podem ingressar no programa já na fase do estágio.
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado