Foi encerrada, nesta sexta-feira (8), mais uma missão do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) de apoio à implementação das ações do Pró-Semiárido, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). Com avaliação positiva do Fida, o memorando, documento que contém os acordos firmados durante a missão, foi assinado e o projeto do Governo do Estado seguirá beneficiando milhares de famílias na sua área de atuação, que abrange 32 municípios do Semiárido baiano.
Em um dos trechos, o memorando informa que “durante a missão, foi possível, em colaboração com a equipe do Projeto, definir as atividades prioritárias e principais orientações para garantir que a atuação do PSA seja a mais relevante e adequada possível ao momento atual de pandemia. No objetivo de manter uma presença e o apoio aos beneficiários do Projeto, a missão constatou que várias iniciativas foram tomadas nesse sentido, em particular, de apoio remoto, contribuindo para definir formas inovadoras de assessorar os beneficiários”. 
Em reunião virtual, o oficial de Programas do Fida no Brasil, Hardi Vieira, destacou o entusiasmo e comprometimento da equipe técnica do projeto, mesmo com os desafios impostos pela pandemia da Covid-19. “Mesmo em tempos de pandemia, o projeto continua trabalhando forte, colocando o pé na estrada, mesmo que virtualmente”, comemorou. 
Vieira pontuou ainda que o Pró-Semiárido é o único projeto financiado no Brasil que está entre poucos no mundo que atendem a todos os principais indicadores de avaliação do Fida, pois é inclusivo do ponto de vista nutricional, da juventude, sensível às questões de gênero e com as questões climáticas.
Para o diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, a missão mostrou, mais uma vez, o quanto a metodologia de trabalho adotada pelo Pró-Semiárido é eficaz no avanço de políticas públicas importantes para o Estado. “O Pró-Semiárido sai na frente ao valorizar o envolvimento local, planejar suas ações junto às comunidades beneficiadas e executá-las de forma participativa”.
Wilson destacou ainda que o Pró-Semiárido é um projeto que inspira outras ações no Estado, sobretudo no que tange a políticas públicas. “Nós estamos conseguindo realizar ações de baixo custo e alta eficiência porque a gente tem a comunidade participando. O Pró-Semiárido vai deixar esse legado de como uma metodologia deve ser adotada para melhor aplicação da política pública”.
Pontos em destaque
O coordenador técnico da missão, Emanoel Bayle, elencou pontos positivos que chamaram atenção do Fida, como os avanços na estruturação das associações comunitárias conveniadas, no trabalho de Atenção Técnica Continuada (ATC) e dos Agentes Comunitários Rurais (ACRs) e no fortalecimento da relação com as prefeituras locais, para acesso a mercado e escoamento das produções. Contudo, o coordenador apontou para a necessidade de adaptação do projeto diante das normas de isolamento social, sobretudo nas ações de ATC. “É preciso pensar novas formas para dar continuidade ao trabalho de assistência técnica às famílias”. 
Bayle alertou ainda para a importância de se investir na implantação de internet rural em todas as comunidades e possibilitar o acompanhamento virtual aos beneficiários pela equipe do projeto.
A aplicação de nova metodologia para monitoramento e avaliação e a execução financeira do projeto também foram tratadas. “Mesmo com a pandemia, a gestão financeira do projeto permanece adequada”, assinalou o consultor em Gestão Financeira do Fida, Danilo Pisani. “É importante falar do compromisso e sensibilidade da direção da CAR na liberação e gestão dos recursos do Pró-Semiárido”, ressaltou.
Coordenador do Pró-Semiárido, César Maynart falou da satisfação com o resultado da missão. “Apesar de ter sido uma missão virtual, o Fida entendeu perfeitamente o estágio em que está o projeto, acordamos saída satisfatórias e encerramos essa semana intensa de trabalho com orientações claras para dar andamento às ações da melhor forma possível”.
Novos projetos
O acordo de empréstimo para execução do Pró-Semiárido seria encerrado em setembro deste ano, mas o Governo do Estado solicitou a prorrogação do prazo até 2022. O pedido segue em tramitação no Fida, mas com a expectativa de que seja assinado até junho. Nessa nova fase, as ações voltadas à mitigação dos efeitos da desertificação e mudanças climáticas, recaatingamento e acesso à água serão priorizadas.
Ao sinalizar para possibilidade de prorrogação do Pró-Semiárido, o oficial de Programas Fida no Brasil, Hardi Vieira, indicou também a possibilidade de que novos acordos sejam firmados com o Governo do Estado. “Continuamos as negociações com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para implantação, por meio do Fundo Verde do Clima, de um projeto para implantação de sistemas agroflorestais e tecnologias para acesso à água, com Assistência Técnica Continuada para as famílias, e esperamos firmar mais essa parceria com a Bahia”.
Fonte: Ascom/SDR