Com os estoques de sangue em nível de crítico, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) pede aos baianos que mantenham as doações de sangue durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A atitude solidária é importante para que a instituição continue atendendo às demandas transfusionais em todo o estado. Todas as unidades da Hemoba, na capital e no interior da Bahia, estão sofrendo uma redução na coleta em razão do isolamento social. 
A Fundação Hemoba adotou medidas de prevenção e tem intensificado os cuidados contra a disseminação do vírus nas suas unidades. Há opção de doação com hora marcada, para receber o doador de forma sistematizada, sem aglomerações. Quem desejar marcar um horário pode acessar o site da Hemoba ou enviar um e-mail para horamarcada@hemoba.ba.gov.br ou ligar diretamente para uma das unidades e agendar a doação. 
As poltronas de doação foram separadas, respeitando as normas distância estabelecidas pela Comissão de Gerenciamento de Risco. Algumas cadeiras da recepção também foram bloqueadas para evitar a proximidade entre os candidatos à doação. No ambulatório, o layout da recepção foi alterado para receber os pacientes com mais segurança. O acesso às dependências das unidades está sendo controlado, ficando restrito aos doadores, pacientes e colaboradores.
Todos os equipamentos de proteção individual e insumos (cirúrgica, PFF2 ou N95, álcool gel, luvas, sabão e papel toalha) foram disponibilizados para os colaboradores, bem como orientações quanto ao uso racional desses insumos. A equipe da Higienização segue o Procedimento Operacional Padrão (POP) de Higienização, além disso também foi encaminhada orientações de reforço quanto ao aumento da frequência de higienização das maçanetas, cadeiras, corrimões de escada, etc.

Triagem durante a pandemia
Atendendo às orientações do Ministério da Saúde, a triagem clínica de doadores foi modificada desde o dia 25 de fevereiro, incluindo novos procedimentos nos critérios de doação. 
Candidatos à doação que tiveram a doença ficam inaptos por 90 dias após a cura. 
Candidatos à doação que tiveram a forma grave da doença ficam inaptos por 1 ano após a cura.
Candidatos à doação que tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados ficam inaptos por 30 dias.
Candidatos à doação que retornaram de viagem internacional, vindos de qualquer país, ficam inaptos por 30 dias a partir do dia da chegada ao Brasil.
Candidatos à doação que tiveram contato domiciliar com casos suspeitos ou confirmados ficam inaptos por 30 dias após a cessação do contato.
Fonte: Ascom/ Hemoba